RGE e Instituto Crescer ensinam jovens sobre uso consciente da energia em escolas

Objetivo é difundir nos alunos e professores uma cultura de eficiência energética e desenvolvimento sustentável
4 minuto(s) de leitura
RGE e Instituto Crescer ensinam jovens sobre uso consciente da energia em escolas públicas
Festival Energia em Jogo conta com ações educativas para os jovens desenvolverem habilidades de pesquisa e levantamento de dados. Foto: Freepik

A RGE (Rio Grande Energia), concessionária distribuidora de energia elétrica pertencente ao grupo CPFL Energia, e o Instituto Crescer, organização social que há mais de 22 anos promove projetos de formação de educadores, qualificação profissional e desenvolvimento comunitário, estão atuando em parceria no projeto educacional “RGE nas Escolas”, que visa incentivar o consumo consciente de energia em escolas da rede pública no Rio Grande do Sul.

O ‘Festival Energia em Jogo’, promovido por meio do PEE (Programa de Eficiência Energética) da ANEEL, conta com ações educativas para as instituições do Ensino Fundamental (6° ao 9° ano) do estado, difundindo uma cultura de eficiência energética e desenvolvimento sustentável para alunos e educadores. Com o projeto, mais de dois mil estudantes serão impactados diretamente com ações educativas, assim como 200 professores.

“Nossa missão é fazer com que os estudantes aprendam e disseminem conhecimentos sobre uso racional e seguro da energia elétrica, sustentabilidade, meio ambiente e geração renovável de energia por meio de atividades lúdicas, educativas, desenvolvendo suas habilidades e enfrentando desafios, praticando agilidade, equilíbrio, tática, conhecimento e criatividade”, explicou Amanda Moreira, coordenadora do projeto no Instituto Crescer.

Segundo a profissional, ao promover uma cultura de eficiência energética e desenvolvimento sustentável, os esforços estimulam os alunos a fomentar a mudança de hábitos voltados à economia de energia, consumo consciente e proteção do meio ambiente, assim como exercer a cidadania e se apropriar do conhecimento sobre a temática de forma lúdica e criativa para torná-los multiplicadores ou porta-vozes deste saber.

O projeto, que teve início em abril, seguirá durante o ano em um total de onze escolas escolas do Rio Grande do Sul em sete cidades: Rolante, Rosário do Sul, Nova Hartz, Gravataí, Canoas, Uruguaiana e Guaporé.

“Estou muito feliz de representar a RGE em um projeto tão imersivo, que busca engajar alunos, professores e até a comunidade escolar em torno dessa temática tão importante”, disse Renan Inacio Marcoantonio, da Gerência de Eficiência Energética – CPFL Energia.

“A eficiência energética está diretamente relacionada a temas como sustentabilidade e à preservação do meio ambiente. Ao educar os alunos sobre o uso eficiente de energia, estamos confiantes para a formação de cidadãos melhores e capazes de tomar decisões conscientes e autônomas no seu dia a dia”, complementou.

Desafios do projeto

As ações e materiais elaborados, tanto para o apoio aos educadores quanto para a realização de atividades, estão alinhadas à normativa da BNCC (Base Nacional Comum Curricular). O documento define o conjunto de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades da Educação Básica.

Ao todo serão lançados cinco desafios para 10 escolas participantes, que serão premiadas durante o evento de culminância, de acordo com as categorias em destaque. “Ou seja, todos ganham, desde a Secretaria Municipal de Educação, escolas participantes, alunos, professores, famílias e comunidade”, assinalou Amanda.

Os educadores também participarão de encontros presenciais e onlines sobre os fundamentos de eficiência energética, consumo consciente e segurança no uso da energia elétrica, que poderão ser aplicados em seus projetos educacionais ao longo de sua carreira. No final da formação, receberão um certificado emitido pelo Instituto Crescer.

Metodologia de ensino

Todas as ações educativas relacionadas ao Festival Energia em Jogo são baseadas nas metodologias ativas fundamentadas no método Aprendizagem Baseada em Problemas (Problem Base Learning), que trata de uma metodologia consoante com as necessidades de desenvolvimento de competências e habilidades para o século XXI.

“Por meio da busca pela solução de problemas contextualizados, o estudante elabora hipóteses, desenvolve habilidades de pesquisa e levantamento de dados, trabalho em equipe, tolerância, negociação, escuta ativa, comunicação oral, criatividade, desenvolvimento de soluções viáveis, eficientes e eficazes”, finalizou Amanda Moreira.

Imagem de Mateus Badra
Mateus Badra
Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal