25 de janeiro de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 4.63GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 8,81GW

RJ deve puxar crescimento da GD no país após isenção de ICMS

Minas se tornou líder isolado de GD justamente por adotar, com pioneirismo, os incentivos fiscais à geração

Autor: 21 de julho de 2020julho 27th, 2021Brasil
RJ deve puxar crescimento da GD no país após isenção de ICMS

O estado do Rio de Janeiro deve dobrar sua capacidade instalada em sistemas de microgeração e minigeração de energia elétrica, assumindo a quarta posição no ranking de GD (geração distribuída) do Brasil em 2021. É o que aponta as projeções da ABGD (Associação Brasileira de Geração Distribuída).

De acordo com a associação, o crescimento do estado será impulsionado devido à isenção de projetos de até 5 MW da cobrança do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). A lei, aprovada pela Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), foi sancionada pelo governador no início do mês.

Hoje, o estado ocupa a oitava posição no ranking brasileiro de potência instalada, com 138 MW. Em primeiro lugar, está Minas Gerais, com 674 MW, seguido pelo Rio Grande do Sul, com 420 MW, e por São Paulo, com 403 MW. Em MG, a isenção de ICMS para projetos de até 5 MW está em vigor desde 2017.

“Minas se tornou líder isolado de GD justamente por adotar, com pioneirismo, os incentivos fiscais à geração distribuída com fontes renováveis feita pelos próprios consumidores. Com todos os benefícios oriundos da GD, o Rio de Janeiro demandará quase 3,5 mil novos empregos especializados para instalar todos esses sistemas”, afirma Carlos Evangelista, presidente da ABGD.

Evangelista ainda destaca que a retomada econômica pós-isolamento social também deve contribuir para o aumento expressivo da potência instalada no RJ. “Gerar a própria energia pode ser uma ferramenta interessante para recuperar o faturamento das empresas, pois reduz consideravelmente a conta de luz. Além disso, a procura por opções sustentáveis e descentralizadas têm sido cada vez maior”, ressalta o executivo.

Marco Weirich, sócio da Joulew Negócios em Energias Renováveis, destaca as vantagens da sanção da lei para o estado e para o país. “Vale ressaltar as ações positivas desta medida, entre elas, a redução de custos aos consumidores do mercado regulado, o crescimento de empresas integradoras que gerarão empregos diretos, oportunidades aos fabricantes de tecnologia, materiais elétricos e metálicos e ao produtor rural, que poderá arrendar suas áreas para as instalações de fazendas solares. Enfim, toda uma cadeia produtiva proporcionando o incremento da economia estadual e contribuindo para um mundo mais sustentável”, ressalta Weirich.

 

Ericka Araújo

Ericka Araújo

Desde 2020, acompanha o mercado fotovoltaico. Possui experiência em produção de podcast, programas de entrevistas e elaboração de matérias jornalísticas. Em 2019, recebeu o Prêmio Jornalista Tropical 2019 pela SBMT (Sociedade Brasileira de Medicina Tropical) e o Prêmio FEAC de Jornalismo. Já atuou como repórter e apresentadora da Rádio Brasil Campinas. Formada pela PUC Campinas.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.