27 de maio de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 5.02GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 10,7W

Solar e eólica corresponderam por 87% da potência acrescida em fevereiro

Dados da ANEEL apontaram que houve um acréscimo de 100 MW em usinas solares fotovoltaicas

Autor: 11 de março de 2022Brasil
Solar e eólica corresponderam por 87% da potência acrescida em fevereiro

Energia solar e eólica se destacaram no mês de fevereiro, apontou a ANEEL. Foto: Envato Elements

A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) anunciou que foram liberados em fevereiro 513,3 MW em geração de eletricidade para operação comercial.

Deste total, houve acréscimo de 100 MW de usinas fotovoltaicas e 346,57 MW de eólica. Ambas representam 87% da ampliação de potência de fevereiro.

De acordo com o Órgão, entraram ainda em operação 48,73 MW em usinas termelétricas e 18 MW em pequenas centrais hidrelétricas.

Nove estados de três regiões brasileiras ganharam acréscimos em geração de energia este ano. Destacaram-se a Bahia, com 345 MW, Rio Grande do Norte, com 306,55 MW, e o Paraná, com 152,80 MW.

Ademais, o Órgão destacou que o quantitativo obtido neste ano, de 995,5 MW, equivale a 13% do incremento na matriz energética previsto para 2022, de 7.625,08 MW.

Capacidade instalada

Dados do SIGA (Sistema de Informações de Geração da ANEEL) apontaram que, até 1º de março, a potência fiscalizada total instalada no Brasil era de 182.377,7 MW.

Desse total em operação, 83% das plantas são impulsionadas por fontes sustentáveis, com baixa emissão de gases do efeito estufa.

Solar e eólica no Nordeste

Segundo informe técnico, divulgado pelo MME (Ministério de Minas e Energia), as fontes solar e eólica no Nordeste somaram 45,5% na matriz de geração de 2020.

Pela primeira vez, de acordo com a SPE (Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético), que pertence ao MME, tais fontes transformaram a região de importadora para exportadora líquida de energia elétrica. 

“A nova configuração da geração no Brasil modificou os intercâmbios entre estados e regiões, proporcionando maior diversidade de soluções de suprimento”, disse a SPE em nota.

Clique aqui e confira a matéria completa.

Solar e eólica ocupam 2ª posição na matriz

As fontes solar e eólica registraram um crescimento de 2,9% na composição da matriz energética brasileira, chegando juntas a 13,4% da oferta total, e ocupando a 2ª posição entre as maiores fontes do país, atrás apenas das usinas hídricas, que são responsáveis por 56,7%.

Clique aqui e confira a matéria completa.

Mateus Badra

Mateus Badra

Atuou como produtor, repórter e apresentador na Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro há mais de dois anos, atuando nas editorias de Mercado e Tendências, Mobilidade Urbana, P&D e Equipamentos. Jornalista graduado pela PUC-Campinas.

Um comentário

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.