Subsídios para energia renovável na China aumentarão 5% em 2021

Segundo o governo, a energia solar fotovoltaica receberá a maior fatia

De acordo com o Ministério das Finanças da China, os subsídios para projetos de energia renovável na China aumentarão quase 5% em 2021.

Em nota, foi informado que os aportes totalizarão RMB 5,95 bilhões (US$ 900 milhões), em 14 províncias, incluindo regiões autônomas e municípios, como Shanxi, Mongólia Interior, Jilin, Zhejiang, Hunan, Guangxi, Chongqing e Xinjiang.

A Mongólia Interior receberá a maioria significativa do financiamento: RMB 5,1 bilhões (US$ 775 milhões).

Segundo o governo, as bolsas serão distribuídas para diferentes categorias de geração de energia, sendo que a fonte fotovoltaica receberá a maior fatia (RMB 3,384 bilhões – cerca de US$ 500 milhões).

Eliminação dos FITs

Conforme noticiado pelo Canal Solar em julho, o governo chinês disse que planejava eliminar os FITs (Feed-In-Tariff) e subsídios para a energia solar a partir de 2021. O anúncio foi feito por Ru Jialin, pesquisador do Departamento de Assuntos Públicos da CPIA (Associação da Indústria Fotovoltaica da China), durante lançamento do relatório Global Market Outlook 2020-2024 da Solar Power Europe.

O especialista em mercado fotovoltaico Márcio Takata, diretor da Greener, disse que a eliminação dos incentivos dos FITs na China poderia ter reflexos no setor solar no Brasil quando o assunto é módulo solar.

Segundo Takata, se o plano realmente se concretizasse, o país teria uma menor demanda na compra de módulos, o que contribuiria para a manutenção ou redução no preço mundial dos mesmos.

Na época, Daniel Pansarella, gerente de vendas da Trina Solar no Brasil, havia dito que o governo chinês sempre cogita eliminar os FITs, “mas depois lançam outros modelos de pacotes de subsídios”.

Fonte: PV Tech

Imagem de Mateus Badra
Mateus Badra
Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal