Usina solar com locação exclusiva pela Vivo inicia operação em Campinas (SP)

Ao total, foram investidos R$ 7 milhões na fazenda solar, que possui uma estação meteorológica completa
4 minuto(s) de leitura
Usina solar com locação exclusiva pela Vivo inicia operação em Campinas
Projeto atende necessidade antiga da empresa de investir em um modelo de negócio que priorizasse a sustentabilidade

A usina solar da TMW Energy, pertencente ao grupo brasileiro Royal FIC, acaba de entrar em operação exclusiva para a Vivo.

Com potência instalada de 4,77 MWp, esta é uma das cinco maiores plantas fotovoltaicas de geração distribuída do Brasil.

Em um terreno de aproximadamente 80 mil m², localizado em Campinas, foram instalados 14.450 painéis solares da BYD.

A geração de energia da planta será equivalente a mais de 4,3 toneladas de dióxido de carbono neutralizado e mais de 20 mil árvores plantadas. “Esta é a maior usina com módulos nacionais do país”, destacou Eduardo Lima, gerente de projeto da TMW Energy.

A construção da planta, que contou com um investimento de R$ 22 milhões, ficou a cargo da Alsol Energias Renováveis, empresa do Grupo Energisa.

Esta é a primeira usina de fonte solar a serviço da Vivo, que anunciou, em julho, a expansão de seu fornecimento de energia via modelo de GD (geração distribuída) para todo o país.  A produção da TMW deve atender as maiores unidades consumidoras da operadora, como antenas e equipamentos de transmissão, instalados na região da CPFL Paulista.

“A GD impulsiona o modelo de negócio sustentável da Vivo nos aspectos ambiental, social e de governança e reafirma nosso compromisso em manter um consumo de energia 100% renovável, com ganhos de eficiência e redução de custos”, revelou Caio Guimarães, diretor de Patrimônio da Vivo.

De acordo com Francine Cassaro, diretora-geral do Grupo Royal FIC, o projeto atende a uma necessidade antiga da empresa de investir em um modelo de negócio que priorizasse a sustentabilidade.

“Sabemos que hoje a preocupação com o meio ambiente e a sustentabilidade aumenta cada dia mais e que a demanda de energia elétrica em nosso país crescerá 200% nos próximos 30 anos, segundo o  MME (Ministério de Minas e Energia). Para suportar toda essa demanda, enxergamos uma forma de garantir uma parte desse futuro por meio da geração distribuída que vem se firmando no mundo como uma das formas mais inteligentes de produzir energia”, disse Francine.

Parceria com BYD incentiva P&D

No mesmo local que foi instalada a planta da Vivo, a BYD inaugurou também a sua primeira usina voltada para P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) no Brasil. A construção foi viabilizada por meio de uma parceria com o Grupo Royal FIC, que cedeu parte do terreno e ficará responsável por fazer a manutenção e segurança do local.

Em contrapartida, a BYD repassa a energia gerada pela usina para a Royal FIC. Ao total, foram investidos R$ 7 milhões na fazenda solar, que possui uma estação meteorológica completa e será dedicada ao estudo dos mais diversos tipos de módulos fotovoltaicos em solo tropical.

“A BYD sempre investe em inovação e desenvolvimento de novas tecnologias localmente.No Brasil, essa usina laboratório será o maior ecossistema de inovação e pesquisa em energia solar do país. Ali, poderemos testar novos materiais e aplicações, assim como as principais tecnologias fotovoltaicas em produção no território brasileiro, desde os módulos poli e mono-PERC, half cell, bifaciais, vidro-vidro e suas aplicações em diferentes tipos e tamanhos de sistemas de armazenamento com baterias de lítio-ferro. Nossa meta é simular os efeitos e impactos dos diferentes climas brasileiros na durabilidade das tecnologias no Brasil”, afirmou Adalberto Maluf, diretor de marketing e sustentabilidade da BYD do Brasil.

Usina_fotovoltaica_da_Vivo_entra_em_operação_em_Campinas.jpg
BYD inaugura usina solar fotovoltaica voltada para pesquisa e desenvolvimento

“O projeto da BYD é fantástico, principalmente para a região de Campinas, considerada um polo tecnológico. Ao redor, por exemplo, a cidade já conta com o Sirus, a maior e mais complexa infraestrutura científica já construída no país. A parceria com a BYD é a primeira de muitas. Essa é uma unidade showroom, tem operação comercial e também pesquisa e desenvolvimento”, comentou Eduardo Lima, gerente de projeto da TMW Energy.

Planos da TMW

Segundo Lima, a ideia da TMW é realizar novos projetos de P&D ainda este ano. “Queremos levar tecnologia não só para a região de Campinas, como também para todo o Brasil. O objetivo é mostrar que a aplicação de energia solar é extremamente importante para o desenvolvimento da matriz energética brasileira. É uma fonte que se torna cada vez mais viável”, concluiu.  

Imagem de Mateus Badra
Mateus Badra
Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal