6 de julho de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 5.09GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 11,3W

Vendavais: quais cuidados aumentam a proteção de um sistema FV? 

Estragos causados no Sul do país geram dúvidas sobre o assunto em consumidores do setor 

Autor: 19 de maio de 2022maio 30th, 2022Notícias
Vendavais: quais cuidados aumentam a proteção de um sistema FV? 

Legenda: Painel solar afetado pela força do vento. Foto: BlueSol/Reprodução 

Após causar estragos e mobilizar autoridades na região Sul do Brasil, a tempestade subtropical Yakecan avançou em direção ao Sudeste nesta quinta-feira (19), causando rajadas de ventos de até 90 km/h no litoral de São Paulo e Rio de Janeiro, segundo informações do Climatempo.

Desde o início da semana, a ventania sobre o oceano provocada pelo efeito do Yakecan e de outros ciclones extratropicais deixaram o mar muito agitado na costa das regiões Sul e Sudeste do país.

Em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, por exemplo, a ventania deixou mais de 226 mil pessoas sem energia elétrica e ainda causou o destelhamento de milhares de residências.

Apesar dos transtornos causados, a tempestade, considerada por especialistas como um ciclone, começa agora também a se deslocar para o alto-mar, afastando-se cada vez mais do Brasil ao longo dos próximos dias.

No entanto, para o setor de energia solar, o cenário de destruição deixado pelo ciclone levantou dúvidas em muitos leitores do Canal Solar sobre a segurança dos equipamentos fotovoltaicos em caso de fenômenos naturais atípicos como esse. 

De acordo com Gustavo Lopes, engenheiro civil de Estruturas na SSM, para que o cliente garanta uma maior segurança da tecnologia é fundamental ficar atento a alguns detalhes junto ao fabricante. Confira três dicas do profissional: 

  • Normas técnicas: é sempre recomendável solicitar ao fornecedor de estruturas o memorial de cálculo dos produtos para que o cliente tenha a segurança de contar com estruturas que vão suportar a ação do vento. 
  • Dimensionamento: deve ser orientado pela normas NBR 8800; NBR 14762; NBR 6120 e NBR 6123 e deve ser realizado com o apoio de um software de análise estrutural, para se realizar a análise dos deslocamentos máximos que precisam respeitar o anexo C da NBR 8800 e anexo A da NBR 14762.
  • Qualidade dos equipamentos: além da necessidade de utilizar ferramentas de dimensionamento e observar normas técnicas, com todos os cálculos apresentados em memorial, também deve-se atentar para a qualidade dos materiais empregados e a garantia fornecida pelo fabricante. “A SSM, por exemplo, com base em todos os cálculos e todas as verificações apresentadas e executadas por uma equipe de engenharia, oferece 30 anos de garantia para as estruturas, tempo compatível com a expectativa de vida dos módulos fotovoltaicos”, explicou Lopes. 
Henrique Hein

Henrique Hein

Atuou como repórter no jornal Correio Popular e na Rádio Trianon. Possui experiência em produção de podcast, programas de rádio, entrevistas e elaboração de matérias jornalísticas. Acompanha o setor de energia solar fotovoltaica, cobrindo as editorias de Mercado e Tendências; Negócios e Empresas; Cases e Bastidores da Política.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.