23 de fevereiro de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,8GW

54 milhões de consumidores tiveram reajuste na conta de luz em 2023

ANEEL já aprovou revisões e reajustes tarifários de sete distribuidoras de energia e que variam de 4,89% até 10%

Autor: 10 de abril de 2023Brasil
2 minutos de leitura
54 milhões de consumidores tiveram reajuste na conta de luz em 2023

Outros consumidores também terão suas tarifas reajustadas ao longo do ano. Foto: USP Imagens

Os reajustes e as revisões tarifárias aprovadas em 2023 pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) junto a sete distribuidoras de energia já elevaram o valor da conta de luz para 54 milhões de brasileiros nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. 

De janeiro até agora, a Agência autorizou as concessionárias CPFL Paulista e Santa Cruz; Enel-RJ; Cemig; Light; e Energisa-MT e Energisa-MS a atualizarem as suas tarifas de energia elétrica. Os valores variam de 4,89% até 10%, conforme apuração realizada pelo Canal Solar

Mesmo com a elevação, parte dos consumidores têm conseguido minimizar os impactos com o uso de sistemas de energia solar. Atualmente, são pouco mais de 700 mil conexões fotovoltaicas em operação nas áreas de concessão das sete distribuidoras. 

  • Saiba a diferença entre reajuste e revisão tarifária, clicando aqui.

Atualmente, o Brasil conta com mais de 45 concessionárias de energia, o que significa que, ao longo do ano, outros milhões de consumidores também terão o valor de suas tarifas reajustadas. A ANEEL já tem perspectivas de aprovar, em breve, o reajuste e as revisões de outras seis distribuidoras: Enel-SP; RGE Sul; Coelba; Cosern; Enel-CE e Energisa-SE. 

Conta de luz nas alturas

Em março deste ano, um levantamento divulgado pela Abraceel (Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia) revelou que no acumulado dos últimos oito anos (entre 2015 e 2022) a conta de luz dos consumidores residenciais brasileiros teve alta de mais de 70%.

Trata-se de um patamar mais elevado que a evolução do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) – a inflação oficial do Brasil, que foi de 58% no período, e do Mercado Livre de energia, onde os preços reduziram em 9%.

Para 2023, a ANEEL estima que a tarifa subirá, em média, 5,6%, mas que em alguns estados o aumento vai superar a barreira dos 14%. Vale lembrar que as tarifas de energia são reajustadas anualmente pela Agência, de acordo com o “aniversário” do contrato de cada concessionária.

Henrique Hein

Henrique Hein

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como repórter do Jornal Correio Popular e da Rádio Trianon. Acompanha o setor elétrico brasileiro pelo Canal Solar desde fevereiro de 2021, possuindo experiência na mediação de lives e na produção de reportagens e conteúdos audiovisuais.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.