6 de julho de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 5.09GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 11,3W

ANEEL abre chamada pública para projetos de eficiência energética em hospitais

Segundo a Agência, 4 mil hospitais brasileiros têm potencial para participar do projeto

Autor: 8 de outubro de 2021novembro 1st, 2021Brasil
ANEEL abre chamada pública para projetos de eficiência energética em hospitais

A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) anunciou na última terça-feira (5), a abertura da Chamada Pública de Projeto Prioritário de Eficiência Energética nº 003/2020.

A medida visa o recebimento de propostas de distribuidoras interessadas em apresentar soluções para hospitais públicos ou entidades que possuam a CEBAS (Certificação das Entidades Beneficentes de Assistência Social).

Segundo levantamento realizado pela Agência, aproximadamente 4 mil hospitais brasileiros da rede pública ou beneficentes certificados têm potencial para participar do projeto prioritário.

Leia também: SP destina R$ 300 mi para hospitais financiarem equipamentos fotovoltaicos

Projetos de eficiência energética incluem ações de diagnóstico de instalações elétricas, troca de aparelhos de ar-condicionado e de lâmpadas por outros de menor consumo, e também a instalação de geração própria como usinas solares fotovoltaicas e sistemas de cogeração.

Projeto de eficiência energética na Santa Casa de Vinhedo (SP)

Em 2019, a concessionária de energia elétrica CPFL de Piratininga investiu cerca de R$ 450 mil na implementação de um sistema de geração de energia fotovoltaica no hospital Santa Casa de Vinhedo (SP). O projeto foi financiado pelo Programa de Eficiência Energética da ANEEL. Ao total, foram implementados 63 painéis solares de 380 W.

Giuliana Olivieri

Giuliana Olivieri

Atuou como produtora de programa de entrevista na Rádio Brasil Campinas, além de elaboração de reportagens diárias, edição de áudio e vídeo. Desde 2020, acompanha o mercado fotovoltaico, cobrindo a editoria de Mercado e Negócios. Graduanda em Jornalismo na PUC Campinas.

2 comentários

  • Morgana Lima disse:

    Boa noite! Prof. Hilton Ferreira
    Sou pós-graduanda em Arquitetura Hospitalar, no desenvolvimento do meu TCC vou abordar sobre Sustentabilidade – Fontes Eficientes de Energia na área hospitalar
    Gostaria da sua ajuda quanto a identificação das NBR que tratam em específico das EAS.
    e-mail: [email protected]
    Desde já agradeço sua Atenção

  • Há muito tempo que existe um decreto lei do governo FHC que obriga os órgãos públicos da administração indireta e direta em implantar uma Comissão interna de Conservação de Energia (CICE). De lá para cá acredito que poucos dessas instituições sabem da existência dessa obrigatoriedade, ou seja, é mais uma lei para não pegar, é só para inglês vê! Hoje, com a crise hídrica batendo às nossas portas, votam-se os olhos para a implantação dos projetos de eficiência energética. Há estudos que apontam que cada um real investido em tal segmento tecnológico retornam três reais, portanto, é uma miopia injustificável não disseminar a cultura do uso, com a devida parcimônia, dos recursos energéticos. Nós temos um matriz privilegiada no que tange ao predomínio das fontes renováveis de energia que podem ser usadas como complementação às tradicionais, com destaque as eólica e a geração fotovoltaica. Como exemplo citamos que a nossa média de KWh/m² disponível é maior que a máxima dos países europeus, alguns protagonistas na capacidade de geração dessa fonte. A inovações tecnológica vêm tendo uma volúpia admirável. Já há pesquisas sobre a geração à noite. O que seria revolucionário. Engenheiro e Professor; mestres em ciência de engenharia elétrica – COPPE/UFRJ – consultor em eficiência energética e geração fotovoltaica.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.