2 de março de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,9GW

CCEE reúne agentes para debater melhorias no monitoramento do mercado

Modelo prudencial foi proposto para prevenir riscos de liquidez na comercialização de energia

Autor: 17 de março de 2023Setor Elétrico
3 minutos de leitura
CCEE reúne agentes para debater melhorias no monitoramento do mercado

Encontro sobre Segurança de Mercado realizado pela CCEE nesta quinta-feira (16) reuniu mais de 300 agentes do mercado de energia. Foto: Arquivo CCEE

A CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica) reuniu nesta quinta-feira (16) agentes de vários segmentos do setor elétrico para apresentar as principais propostas para o monitoramento prudencial.

O novo modelo, em debate na Consulta Pública 011/22 da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), foi inspirado, segundo a Câmara, nas melhores práticas do mercado financeiro e visa evitar riscos de liquidez no ambiente de compra e venda de energia.

Logo na abertura do encontro, Rui Altieri, presidente do Conselho de Administração da CCEE, comentou sobre a importância das mudanças previstas. “Hoje, mesmo com as melhores ferramentas disponíveis, não é possível antever potenciais riscos. Por isso estamos empenhados em mudar essa realidade e dar mais tranquilidade e segurança aos investidores”.

Uma das principais mudanças será a solicitação periódica de informações sobre o patrimônio e a alavancagem dos comercializadores e geradores que negociam energia elétrica, o que permitirá que a entidade avalie as movimentações do mercado. Com isso, esperam identificar com mais agilidade condutas anômalas e evitar impactos com eventuais casos de inadimplência.

Evento é dividido em 3 painéis

No primeiro deles, Roseane Santos, conselheira da CCEE, detalhou como será o monitoramento sombra, um período para observação da aplicabilidade das novas regras.

“Será uma fase de conscientização, sem penalidades, e com a máxima segurança possível no tratamento dos dados. As informações serão criptografadas e processadas em um ambiente de computação totalmente confidencial preparado pela CCEE”, destacou.

Na ocasião, Fernando Colli, assessor da diretoria da ANEEL, mencionou que o Brasil está entre os 10 maiores mercados de energia do mundo e que precisa de aprimoramento nas operações.

O executivo também reforçou que os agentes podem, até 17 de abril, contribuir com sugestões na Consulta Pública 011/22, para uma construção coletiva das novas regras.

O debate ainda contou com a presença de Rodrigo Ferreira, vice-presidente do FASE (Fórum das Associações do Setor Elétrico), que lembrou a resiliência do setor diante dos desafios enfrentados na pandemia da Covid-19 e durante o período de escassez hídrica, em 2021.

O segundo painel abordou as Metodologias de Risco para executivos da área. A conversa, mediada pela conselheira Roseane Santos, teve a participação dos debatedores Alan Genaro, sócio-gerente da Riscométrica, Alexandre Viana, CEO da Thymos Energia, e Vitor Gonçalves, especialista de Segurança de Mercado na CCEE.

O terceiro e último painel tratou da Plataforma de Monitoramento Prudencial e dos testes de segurança que estão sendo realizados pela Câmara de Comercialização para assegurar a confiabilidade do sistema que será usado no monitoramento prudencial.

O debate voltado para profissionais da área de tecnologia foi coordenado por um time de especialistas em Tecnologia e Segurança de Mercado da CCEE: Marcelo Molina, Helen Apolinário, Edson Lugli e Gabriel Brito.

Mateus Badra

Mateus Badra

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020. Atualmente, é Analista de Comunicação Sênior do Canal Solar e possui experiência na cobertura de eventos internacionais.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.