24 de outubro de 2021

Centro de inovação para América Latina da Dow opera com 100% de energia renovável

Com a iniciativa, a companhia deixa de emitir anualmente 925 toneladas de CO₂

Autor: 22 de setembro de 2021Brasil
Centro de inovação para América Latina da Dow opera com 100% de energia renovável

Para tornar suas operações mais sustentáveis e reduzir a emissão de carbono globalmente, o centro de inovação para América Latina da Dow, localizado em Jundiaí (SP), tornou-se a quarta unidade da companhia no Brasil a operar com 100% de energia renovável.

Com as duas novas unidades de Jundiaí, somadas às fábricas já existentes de Jacareí (SP) e Hortolândia (SP), a empresa deixará de emitir cerca de 925 toneladas de CO₂ por ano.

O investimento na diversificação de suas matrizes energéticas faz parte do compromisso assumido pela empresa como forma de garantir que suas operações tenham menos impacto ao meio ambiente.

A Dow destaca, contudo, que uma de suas metas é a redução das emissões anuais de CO₂ em 5 milhões de toneladas até 2030 e alcançar a neutralidade em 2050.

A empresa também tem como objetivo fazer com que 750 MW de sua demanda de energia seja suprida por fontes renováveis, como eólica, solar, biomassa e de PCH’s (Pequenas Centrais Hidrelétricas) até o ano de 2025.

Segundo Claudia Schaeffer, diretora de Energia da Dow para América Latina e diretora Global de Clima e Energia, a companhia tem por estratégia o fornecimento de eletricidade mais sustentável.

“Fontes renováveis permitem a diversificação e a descentralização da matriz elétrica brasileira. Como resultado da migração dessas quatro unidades da Dow para a categoria de consumidores especiais, vamos deixar de emitir 925 toneladas de CO₂ equivalente por ano”, disse ela.

Unidade de Aratu (BA)

Com o contrato de 15 anos firmado com a Atlas Renewable Energy, a Dow também vai viabilizar a construção de um novo parque solar na cidade de Juazeiro (BA), visando com que a fábrica deixe de emitir em torno de 35 mil toneladas de CO₂ por ano.

De acordo com a empresa, a fábrica consome cerca de 80% de energia renovável, oriunda principalmente de biomassa, e caminha para chegar a 100% após o contrato de compra de energia solar.

Imagem: Divulgação.

Mariana Zilli

Mariana Zilli

Atuou no Projor (Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo) na mediação e no mapeamento de veículos de imprensa em funcionamento. Possui experiência como assessora de imprensa e produtora de conteúdo para redes sociais.

Comentar