18 de agosto de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 5,61GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 12,3W

Construtora abre mão de cobertura para investir em sistema fotovoltaico

Com a usina, a redução do consumo de energia do condomínio pode chegar em até 50%

Autor: 27 de junho de 2022Projetos
Construtora abre mão de cobertura para investir em sistema fotovoltaico

Usina solar instalada no Serafina Corporate, sede da construtora em Santo André (SP). Foto: Divulgação

O Brasil ultrapassou a marca de 16 GW de potência instalada da fonte fotovoltaica, somando as usinas de grande porte e os sistemas de geração própria de energia elétrica.

Segundo a ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), a solar já trouxe ao Brasil mais de R$ 86,2 bilhões em novos investimentos, R$ 22,8 bilhões em arrecadação aos cofres públicos e gerou mais de 479,8 mil empregos acumulados desde 2012.

Não há dúvidas com relação ao crescimento desta tecnologia em telhados, fachadas e pequenos terrenos, por exemplo. Mas já temos prédios aproveitando essa fonte limpa e renovável?

A Construtora Patriani é uma das empresas que já estão investindo em soluções de captação e armazenamento. Desde 2021, optou por não construir cobertura no topo dos edifícios para investir em empreendimentos modernos e tecnológicos com a instalação de plantas fotovoltaicas.

Segundo a companhia, a retirada da parte mais nobre dos projetos, caso dos apartamentos nas coberturas, que se trata da unidade de maior valor por metro quadrado, não refletiu negativamente entre os moradores.

Pelo contrário, a iniciativa foi bem aceita, principalmente quando apresentada a economia do sistema. “A usina é capaz de reduzir em até 50% o consumo de energia do edifício, impactando assim em condomínio mais barato para os moradores”, disse Ricardo Camargo, engenheiro da Construtora Patriani.

Como exemplo, no Serafina Corporate, sede da construtora em Santo André (SP), foram instalados 41 painéis na cobertura e 10 em uma árvore solar – resultando numa economia anual média de R$ 16.200,00 na tarifa do condomínio.

Nexen a energia do seu futuro

“As árvores viraram um símbolo da Patriani para mostrar a preocupação com a sustentabilidade. É uma forma de mandarmos um recado de forma mais prática. As pessoas que passam ali em frente vêem que aquilo já é uma realidade”, relatou.

Árvore solar instalada na sede da companhia em Santo André (SP). Foto: Divulgação

Árvore solar instalada na sede da companhia em Santo André (SP). Foto: Divulgação

Ademais, o especialista ressaltou que a redução com gastos pode ser ainda maior com a utilização de módulos com trackers, tecnologia que já tem a sua viabilização estudada pelos engenheiros da empresa.

“Temos essa pegada sustentável nas obras, na escolha dos materiais, pois é muito importante o uso de uma fonte renovável. Para a gente é prioridade”, destacou.

“Estamos buscando cada vez mais adequar ao uso da sustentabilidade em todos os nossos prédios”, comentou Camargo, acrescentando que, até 2024, pretendem entregar 31 empreendimentos com usinas solares.

Outro ponto enfatizado por ele é que todos os apartamentos que constroem têm vaga para recarga de veículos elétricos para cada condômino, “bem como fazemos reuso de água e utilizamos materiais que tem na fabricação uma pegada de carbono verde”.

Tendência de prédios com solar

Para o engenheiro, será uma tendência encontrar construtoras que adotem esta tecnologia. “Com o adensamento das cidades, ficará cada vez mais difícil atender os prédios com energia convencional”.

“Portanto, não será apenas uma tendência, como uma necessidade o uso da solar. Os governos, inclusive, deveriam ter políticas mais atrativas para utilizar fontes limpas”, concluiu.

Mateus Badra

Mateus Badra

Atuou como produtor, repórter e apresentador na Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020, atuando nas editorias de Mercado e Tendências, Mobilidade Urbana, P&D e Equipamentos. Jornalista graduado pela PUC-Campinas.

Um comentário

  • Marcos Alberto Teófilo da Silva disse:

    A tendência será cada vez mais essa utilização e garantirá preços mais acessíveis dos componentes para toda a população .

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.