27 de janeiro de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 4.63GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 8,83GW

‘É uma questão de tempo que as renováveis substituam o carvão no mundo’, aponta diretor da Greener

Para Márcio Takata, diretor da Greener, é uma questão de tempo que as renováveis substituam o carvão

Autor: 12 de junho de 2020março 16th, 2021Mundo
‘É uma questão de tempo que as renováveis substituam o carvão no mundo’, aponta diretor da Greener

A predominância das renováveis na matriz energética mundial já é realidade em alguns países. No Brasil, isso vem acontecendo nos últimos anos, e, recentemente, nos Estados Unidos, depois de mais de um século, a energia limpa e sustentável também alcançou o primeiro lugar. Mas, agora a tendência é que a energia renovável supere os combustíveis fósseis no mundo todo.

Para Márcio Takata, diretor da Greener, é uma questão de tempo que as renováveis substituam o carvão em grande parte dos países. “É uma tendência mundial. Os aspectos ambientais e econômicos são os dois fatores que vão guiar o desenvolvimento e ampliação da geração renovável no mundo”.

Segundo ele, isso vai ocorrer devido ao avanço tecnológico das renováveis, pelo ganho de eficiência financeira da tecnologia e também por conta da preocupação do mundo em reduzir as emissões de CO2.

“Agora, com a retomada pós-Covid, vamos ter um mundo diferente. O mundo vai estar ainda mais preocupado em fazer com que a retomada seja feita, preferencialmente, com bases sustentáveis. E a energia renovável, dentro desse contexto, tem um papel extremamente importante”, destaca Takata.

“No entanto, não há uma previsão para a redução drástica do carvão e a predominância renovável. Varia muito de país a país. A China, por exemplo, depende muito de carvão, que representa mais de 60% da matriz energética”, concluiu.

Energia solar ultrapassa fontes nucleares e carvão no Brasil

Segundo a ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), a potência instalada total da fonte – somando grandes usinas solares e pequenos sistemas em residências, comércios, indústrias, produtores rurais e prédios públicos – já ultrapassou a soma das usinas termelétricas à carvão mineral e nuclear no Brasil. São 5.763,5 MW de potência em sistemas solares contra 5.586,8 MW de carvão e nuclear.

“Com isso, a potência total solar ultrapassa em quase 4% a destas termelétricas, baseadas em recursos não-renováveis e com maiores impactos ambientais ao longo de todo o seu ciclo de vida”, comenta Ronaldo Koloszuk, presidente da ABSOLAR.

“O Brasil é um dos países que mais usa renováveis no mundo. Estamos ganhando em competitividade, sobretudo a energia solar, que vem tendo um desenvolvimento tecnológico e uma redução de custos nos últimos anos, fazendo com que essa fonte acelerasse sua aplicação no país”, diz Márcio Takata, diretor da Greener.

Renováveis supera carvão nos EUA

Pode-se dizer que a era do carvão terminou nos Estados Unidos. De acordo com a EIA (Administração de Informações sobre Energia dos EUA), o consumo de carvão foi superado pelas renováveis pela primeira vez depois de mais de 130 anos.

A pesquisa aponta que o carvão representou 11,3 quadrilhões de BTU (unidades térmicas britânicas) de energia em 2019, um declínio de 15% em relação ao ano anterior, causado principalmente pelas concessionárias que estão se afastando do combustível fóssil. Já as energias renováveis ​​registraram 11,5 quadrilhões de BTU, um aumento de 1,4%.

“É uma notícia bastante positiva. Uma tendência mundial a ampliação do uso de renováveis em função da evolução tecnológica, com redução de custos e ganho de competitividade da fonte renovável”, comentou Takata.

Mateus Badra

Mateus Badra

Atuou como produtor, repórter e apresentador na Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro há mais de um ano, atuando nas editorias de Mercado e Tendências, Mobilidade Urbana, P&D e Equipamentos. Jornalista graduado pela PUC-Campinas.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.