10 de dezembro de 2023
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 11,1GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 24,8GW

FIESP, FIEC, ABSOLAR e ABEEÓLICA assinam acordo para acelerar mercado de H2V

Proposta da parceria é colaborar para ampliação da produção e uso do hidrogênio verde e a consolidação desse mercado no Brasil

Autor: 27 de setembro de 2023Hidrogênio Verde
3 minutos de leitura
FIESP, FIEC, ABSOLAR e ABEEÓLICA assinam acordo para acelerar mercado de H2V

Brasil poderá produzir o hidrogênio renovável mais competitivo do mundo, aponta Koloszuk. Foto: Reprodução

A FIESP (Federação da Indústria do Estado de São Paulo) e a FIEC (Federação da Indústria do Estado do Ceará) assinaram acordo de cooperação com a ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica) e ABEEÓLICA (Associação Brasileira de Energia Eólica e Novas Tecnologias) com o objetivo de promover o desenvolvimento e consolidação do mercado de H2V (hidrogênio verde) no Brasil, em especial em São Paulo e Ceará.

A assinatura aconteceu nesta terça-feira (26) durante evento oficial da sede da FIESP, com as presenças dos presidentes das entidades, incluindo Josué Gomes, da FIESP, Ricardo Cavalcante, da FIEC, Ronaldo Koloszuk, da ABSOLAR, Elbia Gannoum, da ABEEÓLICA, e de representantes do setor produtivo paulista e brasileiro.

A união de esforços das entidades visa apoiar a ampliação da competitividade do H2V, produzido por meio de energia elétrica proveniente das fontes eólica, biogás e solar fotovoltaica, em toda a sua cadeia de valor, identificando o custo total de produção do combustível. Também prevê a identificação de regiões atrativas para a sua produção e hubs que otimizem custos de transporte, tanto para o mercado doméstico como para o internacional

A proposta das entidades com o acordo é identificar potenciais sinergias na indústria local com a produção de eletrolisadores e demais equipamentos utilizados na produção do H2V e amônia verde, bem como contribuir para a construção de metas para produção e uso do combustível nos estados paulista e cearense, regiões apontadas como grandes polos para o hidrogênio verde brasileiro.

A cooperação envolve ainda o estímulo, contribuição e apoio a políticas públicas voltadas ao fomento da produção e uso do H2V e seus derivados e à substituição do uso atual de hidrogênio e amônia de origem fóssil para o de origem renovável em nível estadual e nacional, além de contribuir para a atração de investimentos, empresas, geração de empregos e renda, bem como desenvolvimento tecnológico e industrial.

Para Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho de Administração da ABSOLAR, em poucos anos, o Brasil poderá produzir o hidrogênio renovável mais competitivo do mundo, desde que desenvolva políticas públicas, programas e incentivos adequados. “Por isso, o apoio do setor produtivo, em consonância com as autoridades públicas, é fundamental para a criação das rotas de produção do combustível a partir de fontes renováveis”.

Mateus Badra

Mateus Badra

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.