GD com sistemas FV ultrapassa 500 MW no Brasil

No universo da geração solar distribuída no Brasil, cerca de 75% da potência instalada é de usuários residenciais

Em início de 2019 o Brasil contabilizou mais de 500 MW de geração distribuída com sistemas fotovoltaicos. O mercado solar brasileiro no ano de 2018 apresentou um grande salto. Nesse ano, mais de 370 MW de painéis solares foram instalados em sistemas de geração distribuída, uma marca muito superior à atingida nos anos anteriores.

Em 2017 foram instalados cerca de 121 MW de painéis solares em sistemas de geração distribuída, contra 48 MW em 2016 e menos de 10 MW em 2015. No início de 2019 o país já contabilizou mais de 500 MW de sistemas solares fotovoltaicos de geração distribuída. A geração distribuída corresponde a sistemas solares instalados em telhados ou usinas de médio porte, com até 5 MW de potência, para a geração descentralizada de energia elétrica.

Os sistemas de geração distribuída de energia elétrica são usados para suprir o consumo energético de consumidores que decidem produzir sua própria energia. Os sistemas podem ser constituídos de painéis instalados em telhados ou usinas de pequeno e médio portes instaladas em locais remotos, dentro da área de concessão da distribuidora de energia que alimenta o consumidor.

No universo da geração solar distribuída no Brasil, cerca de 75% da potência instalada é de usuários residenciais.

No universo da geração solar distribuída no Brasil, cerca de 75% da potência instalada é de usuários residenciais, enquanto consumidores industriais e comerciais correspondem ao restante. A maior parte dos sistemas instalados encontra-se no estado de Minas Gerais. Em seguida, os maiores usuários são Rio Grande do Sul, São Paulo, Paraná e Santa Catarina.

Minas Gerais lidera o ranking da geração solar distribuída em função de uma conjuntura de fatores: o elevado preço da eletricidade no estado, as ótimas condições climáticas para a captação da luz solar e incentivos promovidos no estado para a facilitação do acesso ao financiamento para a construção de usinas fotovoltaicas.

A geração distribuída de energia elétrica teve início no Brasil em 2012 com a publicação da resolução No. 482 da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) e foi ampliada em 2010 com a publicação da resolução No. 687, que ampliou o potencial de utilização da fonte solar ao elevar o tamanho máximo das usinas descentralizadas para 5 MW, o que viabilizou um grande número de empreendimentos solares no país. Estima-se que em 5 anos existirão quase 1 milhão de sistemas de geração distribuída com painéis solares fotovoltaicos no Brasil.

Imagem de Redação do Canal Solar
Redação do Canal Solar
Texto produzido pelos jornalistas do Canal Solar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal