27 de janeiro de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 4.63GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 8,83GW

Gerenciamento de Projetos nos empreendimentos fotovoltaicos

Saiba como gerenciar projetos no ramo de energia solar para se destacar entre os clientes

Autor: 5 de abril de 2020maio 17th, 2021Artigos técnicos
Gerenciamento de Projetos nos empreendimentos fotovoltaicos

A economia atual vive em constante mudança, quebras de paradigmas e a necessidade de criação de novos modelos mentais, de gestão e de negócios.

Nota-se cada vez mais um número crescente de empresas e organizações do mercado de energia solar, adotando a estrutura de projetos no seu dia-a-dia, com o objetivo de oferecer novos produtos e serviços com profissionalismo.

Dentre alguns fatores críticos ou exigências para o sucesso destacam-se: a agilidade, a capacidade de adaptação, o poder de inovação e o potencial de aprimoramento contínuo ante as restrições de recursos.

 

Competitividade é a palavra de ordem do momento, pois, se por um lado o mercado de energia solar aquecido cresce rapidamente, por outro cresce a participação de concorrentes capacitados, o que obriga a busca pela eficiência.

Neste cenário, a metodologia de Gerenciamento de Projetos se mostra como ferramenta essencial para aumentar a capacidade de resposta às exigências do mercado.

Clientes e investidores buscam prestadores de serviço capazes de agir pronta, rapidamente às suas necessidades, gerando valor e contribuindo para o sucesso dos empreendimentos de energia solar.

Neste cenário, é impossível falar em projetos em energia solar, de médio e grande portes, sem a aplicação de tal metodologia.

Principais Conceitos

O planejamento é uma prática desde o início da civilização da humanidade mesmo sem as ferramentas, técnicas e metodologias que temos atualmente. Embora o gerenciamento de projetos como prática já exista há séculos, só foi reconhecido formalmente como profissão após a 2ª Guerra Mundial.

Já a gestão de projetos com práticas sistematizadas tornou-se uma disciplina nos anos 80, identificando assim as áreas do conhecimento e técnicas para o gerenciamento de projetos.

Esse movimento foi liderado pelo PMI (Project Management Institute), que produziu o Project Management Body Of Knowledge — PMBOK® (1ª edição – 1996), documento que sistematiza o campo da gerência de projetos, buscando a uniformização das práticas e fornecendo as bases para programas de treinamento e educação em administração de projetos.

Segundo o PMI, projeto é definido, como “um empreendimento temporário feito para criar um produto ou serviço único” (PMBOK). A NBR 10006 define projeto como sendo um processo único, consistindo em um grupo de atividades coordenadas e controladas com datas para início e término, empreendido para alcance de um objetivo conforme requisitos específicos, incluindo limitações de tempo, custo e recursos.

O projeto pode ser dividido por fases (grupos de processos), onde destacamos:

  • Iniciação: econhecer que um projeto deve iniciar;
  • Planejamento: planejar ações para atingir os objetivos do projeto em todas suas etapas;
  • Execução: coordenar pessoas, empresas, fornecedores e recursos para executar o que foi planejado;
  • Monitoramento e Controle: assegurar que os objetivos do projeto estão sendo atingidos, tomando ações para corrigir possíveis desvios;
  • Encerramento: realizar aceite formal do projeto, fazendo seu encerramento de forma organizada (lições aprendidas).
Figura 1: Fluxograma de processos segundo o PMBOK

Figura 1: Fluxograma de processos segundo o PMBOK

Estas fases interagem com 10 áreas de conhecimentos, as quais abrangem todo o fornecimento do projeto, que são:

  • Escopo;
  • Tempo;
  • Custo;
  • Qualidade;
  • Riscos;
  • Aquisição;
  • Comunicação;
  • Recursos Humanos;
  • Stakeholders;
  • Integração.

Com esta interface, temos os processos citados:

Figura 2: Processos de Gerenciamento segundo o PMBOK

Figura 2: Processos de Gerenciamento segundo o PMBOK

Mas, afinal de contas, o que é o Gerenciamento de Projetos? É a “aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto a fim de alcançar seus objetivos”, segundo PMBOK®. Com a utilização destas expertises, conseguimos:

  • Evitar surpresas durante a execução dos trabalhos (em todas suas fases);
  • Antecipar riscos e situações desfavoráveis que poderão ser encontradas;
  • Facilitar, orientar e documentar as revisões do projeto;
  • Registrar e facilitar estimativas para futuros projetos;
  • Agilizar as tomadas de decisões.

Principais funções do gerente de projetos

As principais funções e ações dos gerentes (gestores e coordenadores) de projetos solares variam muito de acordo com o tamanho da empresa, tipo de produto e/ou serviço prestado e recursos disponíveis. Em geral, podem ser definidos como:

  • Define de forma precisa o escopo a ser entregue (documenta em contrato);
  • Coleta os requisitos faltantes, faz o planejamento do projeto, monitora e controla a execução dele;
  • Utilizada uma como uma metodologia para controle de projeto, usa os skills e know-how seus e da equipe para agregar maturidade visando ter uma gestão mais efetiva e eficiente em seus projetos;
  • Coordena as interações com clientes (internos e externos), fornecedores e stakeholders;
  • Mantém a equipe de projeto focada no objetivo do fornecimento;
  • Supervisiona, delega, motiva e gerencia o stress;
  • Incentiva a comunicação eficaz em todos os níveis (equipe, fornecedores, time de campo, etc);
  • Gerencia escopo, tempo e custos em todas as fases do projeto;
  • Estabelece um conjunto de práticas para assegurar a qualidade dos entregáveis do projeto;
  • Faz o gerenciamento de Riscos em todas as etapas do projeto (controle das reservas gerenciais e de contingências);
  • Coordena e acompanha do processo regulatório e aprovação da documentação do projeto na concessionária;
  • Resolve conflitos com diferentes expectativas e necessidades;
  • Acompanha e gerencia os trabalhos de montagem eletromecânica, testes finais e de comissionamento até a entrada em operação do parque solar, linha de transmissão e cabine de medição (subestação).
Figura 3: Atribuições de um gerente de projetos em cada uma das etapas do projeto

Figura 3: Atribuições de um gerente de projetos em cada uma das etapas do projeto

Implantação de Gerenciamento de Projetos: vantagens estratégicas

A importância do gerenciamento de projetos para empresas estabilizadas no mercado de atuação certamente passa pela capacidade de inovação, agilidade na tomada de decisões e compromisso em honrar seus entregáveis (projetos on time), o que ajudará para conquistar novos clientes objetivando manter – e até melhorar – sua posição no mercado. Isso porque a complexidade alcançada pela empresa contemporânea exige habilidades gerenciais específicas para decidir e agir num contexto de grandes riscos e incertezas. Dentre estes pontos positivos, destacam-se:

  • Visão estratégica;
  • Estrutura organizacional adaptada para trabalhar com projetos e grandes fornecimentos (know-how);
  • Equipe concisa e focada nos entregáveis do projeto;
  • Clima criativo e aprendizado constante;
  • Comunicação eficaz;
  • Projetos entregues nas datas contratuais;
  • Projetos dentro dos orçamentos financeiros e em muitos casos, tendo aumento de rentabilidade;
  • Empresa se tornar ’referência’ no mercado.

Benefícios do Gerenciamento de Projetos

É muito difícil um projeto ser iniciado e concluído exatamente como foi planejado no início. A maioria dos projetos são dinâmicos, independente do seu porte ou complexidade. Problemas com fornecedores e problemas regulatórios, falhas internas, situações ambientais, latifundiárias e desvios normalmente ocorrem ao longo de sua execução. Alguns, decorrentes de obstáculos externos, fora do controle da organização e outros gerenciais, mas que podem ser mitigados ou até mesmo evitados se houver um gerenciamento de projetos e de riscos eficaz. As empresas são reconhecidas no mercado não apenas pelo seu profissionalismo, mas principalmente pela flexibilidade e capacidade de atender as necessidades e expectativas de seus clientes. De acordo com o PMBOK para que um projeto seja bem-sucedido, a equipe do projeto deve:

  • Selecionar os processos adequados para atender aos objetivos do projeto;
  • Usar uma abordagem definida para adaptar os planos e as especificações do produto de forma a atender aos requisitos do produto e do projeto;
  • Atender aos requisitos para satisfazer as necessidades, desejos e expectativas das partes interessadas;
  • Balancear as demandas conflitantes de escopo, tempo, custo, qualidade, recursos e risco para produzir um produto de qualidade.

Além disto, seguem abaixo os principais benefícios que conseguimos mensurar pela utilização dos skills e expertises de Gerenciamento de Projetos olhando pelo foco da empresa fornecedora do projeto, do cliente final e da equipe do projeto:

Benefícios para a organização / empresa:

  • Aumento de produtividade e lucro com a utilização eficiente e eficaz dos recursos;
  • Retorno de investimento mais rápido e melhor, com entregas no prazo e custos previstos;
  • Melhora da competitividade, obtida pelo aumento da satisfação dos clientes;
  • Melhora da comunicação interna da organização (stakeholders internos)
  • Melhor previsibilidade dos resultados dos projetos;
  • Aumento da confiança na capacidade empresarial da organização;
  • Melhor capacidade e agilidade de resposta às mudanças solicitadas pelo cliente.

Benefícios para o cliente final:

  • Visualização de uma organização estruturada e preparada para o projeto com as possíveis mudanças, que certamente ocorrerão;
  • Visualizar que o planejamento do projeto está claramente definido e que atende às suas necessidades;
  • Visualizar que os objetivos do projeto estão sendo seguidos e atingidos;
  • Visualizar que os trabalhos do projeto estão sendo executados de acordo com os requisitos;
  • Ter satisfação com o produto final do projeto e com todos os resultados obtidos.

Benefícios para a equipe do projeto:

  • Permitir que cada membro da equipe saiba exatamente o que deve fazer, quando e como fazer;
  • Participar de uma equipe coesa, integrada e direcionada aos objetivos do projeto;
  • Permitir a cada membro da equipe saber em qualquer momento onde está e quais suas funções e atividades naquele momento;
  • Aumento da confiança de cada membro da equipe em poder executar e completar o trabalho;
  • Aumento do orgulho profissional pela capacidade de desenvolvimento do trabalho.

Conclusão

As ferramentas e habilidades de Gerenciamento de Projetos são diferenciais que empresas de alta performance podem oferecer aos seus clientes, cada vez mais exigentes. A pressão por prazos, custos e qualidade, aliados à complexidade de execução dos projetos de energia solar – principalmente de médio e grande portes – exigem a adoção de metodologias de Gerenciamento de Projetos. O emprego destas metodologias proporciona inúmeras vantagens dentre as quais, o aumento da confiança e da segurança do empreendedor, melhor controle das atividades, melhor controle de fornecedores, previsibilidade e melhor gestão às mudanças, fazendo com que os projetos sejam bem sucedidos.

 

Kleber Henrique Alota

Kleber Henrique Alota

Engenheiro Mecânico formado pela UNESP. Possui especialização em Vendas Corporativas e Direção Comercial. Mestre em Planejamento de Sistemas Energéticos pela UNICAMP. Possui certificação PMP (Project Management Professional) pelo PMI. Tem mais de 20 anos de experiência em gerenciamento de projetos, desenvolvimento de projetos, construção e implantação de usinas de geração de energia elétrica proveniente de fontes renováveis (solar, eólica e hídrica). Atualmente, é diretor técnico da AK Energia Solar e professor do Curso de Usinas do Canal Solar.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.