17 de abril de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 13,1GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 28,5GW

Governo Federal e INEL criam GT para fomentar hidrogênio verde no Brasil 

Instituto de energia limpa se reuniu com Geraldo Alckmin e Alexandre Silveira para debater o tema na quarta-feira (15)

Autor: 16 de março de 2023Hidrogênio Verde
4 minutos de leitura
Governo Federal e INEL criam GT para fomentar hidrogênio verde no Brasil 

Heber Galarce e Geraldo Alckmin seguram acordo firmado entre as partes. Foto: INEL/Divulgação.

Executivos do INEL (Instituto Nacional de Energia Limpa) se reuniram nesta quarta-feira (15) com o vice-presidente da República e ministro do MDIC (Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços), Geraldo Alckmin (PSB), e com o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira (PSD/MG) para debater a criação de uma agenda de desenvolvimento do hidrogênio verde no Brasil.

Nas reuniões, foi acertada a criação de um GT (Grupo de Trabalho) Interministerial, com participação das duas pastas e com apoio do INEL, para ampliar o debate e ajudar o Governo em tomadas de decisões que auxiliem nas melhores estratégias para desenvolver o combustível no país. 

Também ficou decidido que o GT ficará sob o guarda-chuva da Secretaria de Planejamento e Transição Energética do MME (Ministério de Minas e Energia), coordenada pelo secretário Thiago Barral.

O secretário de hidrogênio verde do INEL, Frederico Freitas explica que os encontros com os líderes do Governo Federal serviram também para elencar pontos de atenção e potenciais aceleradores de investimentos no Brasil voltados para desenvolvimento do H2V. 

“A iniciativa do INEL visa promover entendimentos com o novo governo para o incremento de projetos de hidrogênio verde já anunciados no Brasil atingem o montante de US$ 30 Bilhões. A nossa previsão é que este número tenha um incremento significativo em 2023”, disse ele. 

Também participaram da reunião, o presidente da Frente Parlamentar de Energia Limpa e Sustentável, deputado Lafayette de Andrada (Republicanos-MG); o deputado Rubens Otoni (PT-GO) e o deputado estadual de Minas Gerais, Gil Pereira; além de representantes de empresas do setor privado que farão parte do GT e que compõem a SHV (Secretaria de Hidrogênio Verde) do INEL). 

Apoio ministerial

Durante o encontro, Alexandre Silveira, afirmou que vê com bons olhos a criação do GT com participação do INEL e principais players do setor e que trabalho conjunto poderá dar rápidas respostas sobre o desenvolvimento do H2V no Brasil.  

“A criação do GT contribuirá muito com ideias, sugestões do INEL e do setor privado para apontar caminhos para que Brasil se torne, o mais rápido possível, protagonista no tema do Hidrogênio Verde no mundo. Vejo com confiança e otimismo esse trabalho permanente do grupo de trabalho”, disse o ministro de Minas e Energia.

Geraldo Alckmin, por sua vez, destacou o potencial do Brasil para esse mercado e ressaltou que o H2V será uma agenda prioritária do atual Governo. “Temos um potencial enorme e o tema é uma prioridade absoluta. Energia, sustentabilidade, competitividade, emprego, atração de investimento, desenvolvimento. O GT proporciona a melhor combinação”, afirmou.  

Segundo o presidente do INEL, Heber Galarce, além de um grupo especializado de trabalho sobre o tema, é preciso que o Brasil crie uma infraestrutura elétrica robusta, resiliente e com custos competitivos, capaz de prover capacidades energéticas para produção de Hidrogênio Verde. 

“É necessário infraestrutura para o escoamento da produção, como redes de gasodutos, domínio tecnológico para a produção nacional de equipamentos e uma política industrial que impulsione a produção de equipamentos no Brasil, além de investir na indústria da sustentabilidade brasileira”, afirmou. 

Para ele, o desenvolvimento do hidrogênio verde no país depende também de medidas estruturantes entre as quais a elaboração de uma política industrial que impulsione a produção de equipamentos e a prestação de serviços com incentivos ao financiamento para descarbonizar setores e segmentos potencialmente competitivos. 

Secretária de hidrogênio verde

O INEL criou uma secretaria de hidrogênio verde em agosto do ano passado, coordenada por Freitas, por entender o potencial desse vetor energético no país e a necessidade de transformar essa vocação em resultados para o setor de energia limpa e para o setor elétrico em geral. 

Nas reuniões com os ministros, Freitas apresentou os trabalhos da secretaria de H2V do INEL, criada pelo instituto no final do ano passado. “A meta das empresas que fazem parte da Secretaria de Hidrogênio Verde do INEL é a produção de 1,5 Milhão de toneladas de Hidrogênio Verde por ano no Brasil”, destaca Freitas. 

De acordo com o secretário, a atuação de  cada vez mais empresas sobre a tecnologia é importante para que o país acompanhe e contribua para a curva de crescimento ascendente deste mercado em todo o mundo. 

Segundo o relatório Global Hydrogen Flows, o mundo demandará, mais de 660 milhões de toneladas de Hidrogênio Verde por ano até 2050.

Henrique Hein

Henrique Hein

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como repórter do Jornal Correio Popular e da Rádio Trianon. Acompanha o setor elétrico brasileiro pelo Canal Solar desde fevereiro de 2021, possuindo experiência na mediação de lives e na produção de reportagens e conteúdos audiovisuais.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.