26 de fevereiro de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,8GW

Evento destaca potencial do hidrogênio e amônia verde na América do Sul

Questões regulatórias serão debatidas para permitir que o H2V conquiste o espaço necessário nas metas climáticas globais

Autor: 17 de março de 2023Hidrogênio Verde
4 minutos de leitura
Evento destaca potencial do hidrogênio e amônia verde na América do Sul

Hidrogênio verde é essencial no processo de descarbonização da indústria. Foto: Reprodução

Em linha com os desafios e iniciativas para que o planeta atinja a neutralidade nas emissões de carbono até 2050, a thyssenkrupp, uma das líderes globais na tecnologia de eletrólise da água, principal rota para produção de H2V (hidrogênio verde) em larga escala, anunciou que irá marcar presença no Fichtner Forum Hydrogen 2023, que será sediado em Santiago, no Chile, em 21 de março.

O evento é organizado pela Fichtner, uma das principais empresas de engenharia e consultoria na área de energia e infraestrutura, que tem empregado esforços no desenvolvimento do hidrogênio verde em diversas localidades ao redor do mundo.

Ao longo do evento, autoridades, executivos e profissionais especializados em energia farão apresentações sobre temas fundamentais para que a produção e a comercialização do H2V conquistem o espaço necessário para colaborar com as metas e ambições climáticas globais.

Paulo Alvarenga, CEO da thyssenkrupp América do Sul, participa da segunda sessão do fórum, em que irá abordar a importância do hidrogênio verde e da amônia verde para o processo de descarbonização da indústria e geração de energia.

“Além do conhecimento científico que já possuímos sobre a importância dessas tecnologias para a indústria, é fundamental que possamos debater questões regulatórias e estruturais para permitir a geração de uma economia de escala para essas soluções”, pontuou o executivo.

Recentemente, a thyssenkrupp e a Unigel assinaram um memorando de entendimento para aumentar a capacidade da planta de hidrogênio verde, que a Unigel está construindo na Bahia, de 60 MW para 240 MW de eletrólise de água.

Trata-se da primeira planta de H2V em escala industrial do Brasil, com entrega prevista para o final do ano. Na primeira fase, essa fábrica terá uma capacidade total de eletrólise de água de 60 MW, com eletrolisadores da thyssenkrupp nucera, e uma capacidade inicial de produção de 10.000 toneladas/ano de hidrogênio verde e produzir 60.000 toneladas/ano de amônia verde.

Para mais informações sobre os painéis, debates e como participar de forma remota do Fichtner Forum Hydrogen 2023, basta acessar o site do evento.

Colaboração para facilitar a exportação de H2V brasileiro

A SAP firmou parceria para facilitar ajudar empresas brasileiras a exportarem H2V para a Alemanha por meio do H2Uppp, programa do Ministério de Assuntos Econômicos e Ação Climática da Alemanha, implementado no Brasil pela Agência de Desenvolvimento Alemã (GIZ). A SAP será facilitadora da certificação de sustentabilidade do hidrogênio verde por meio da solução GreenToken by SAP.

O sucesso da exportação de hidrogênio gerado por energia renovável ou de baixo carbono depende da transparência sobre os critérios de sustentabilidade cumpridos da produção ao consumo.

O GreenToken utiliza uma abordagem blockchain para coletar as informações de qualquer matéria-prima com transparência. Ao “tokenizar” a molécula de hidrogênio, permite certificar aos compradores a origem verde e rastrear a pegada de carbono associada ao Escopo 3 por meio da cadeia de valor até o cliente final.

Sabine Bendiek, membro do Conselho de Administração da SAP, entregou a carta de intenções a Markus Francke, diretor da GIZ Brasil, durante o Encontro Econômico Brasil-Alemanha (EEBA) 2023, em Belo Horizonte (MG).

De acordo com a empresa, este é um marco para o programa, que pode deixar o Brasil em posição de destaque no mercado de hidrogênio verde e contribuir com outros países na transição para energias 100% renováveis.

Mateus Badra

Mateus Badra

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020. Atualmente, é Analista de Comunicação Sênior do Canal Solar e possui experiência na cobertura de eventos internacionais.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.