24 de maio de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 4.98GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 10,7W

Hidrogênio verde pode competir com combustíveis fósseis até 2030

IRENA aponta que combinação de preços decrescentes para energia solar e eólica pode tornar isso possível

Autor: 3 de janeiro de 2021Mundo
Hidrogênio verde pode competir com combustíveis fósseis até 2030

hidrogênio produzido com eletricidade renovável pode competir em custos com os combustíveis fósseis até 2030. É o que apontou o novo relatório divulgado pela IRENA (Agência Internacional de Energia Renovável).

Segundo a agência, a combinação de preços decrescentes para energia solar e eólica, melhor desempenho, bem como economias de escala para eletrolisadores podem tornar isso possível.

A pesquisa analisa os motores da inovação e apresenta estratégias que os governos podem examinar para reduzir o custo dos eletrolisadores em 40% no curto prazo e em até 80% no longo prazo.

“O hidrogênio renovável pode mudar o jogo nos esforços globais para descarbonizar nossas economias. Para isso, é necessário nivelar o campo de jogo para fechar a lacuna de custo entre os combustíveis fósseis e essa tecnologia”, explicou Francesco La Camera, diretor-geral da IRENA.

“O hidrogênio verde de custo competitivo pode nos ajudar a construir um sistema de energia resiliente que prospera em tecnologias modernas e adota soluções inovadoras adequadas para o século XXI”, ressaltou o especialista.

Para conseguir esse objetivo, a IRENA apontou ser necessário a padronização e a fabricação em massa das pilhas do eletrolisador, a eficiência na operação, além da otimização da aquisição de materiais e das cadeias de suprimentos.

Neste caso, a capacidade de fabricação atual, de menos de 1 GW, teria que crescer exponencialmente para mais de 100 GW nos próximos 15 anos.

“Na melhor das hipóteses, o uso de eletricidade renovável de baixo custo a US$ 20 / MWh em grandes instalações de eletrolisador poderia produzir hidrogênio verde a um preço competitivo com o hidrogênio azul”, disse La Camera.

“Se o rápido aumento de escala e a implantação de eletrolisadores agressivos ocorrerem na próxima década, o hidrogênio verde poderá então começar a competir em valores com o hidrogênio azul até 2030 em muitos países, tornando-o mais barato do que outras alternativas de baixo carbono antes de 2040”, concluiu.

Mateus Badra

Mateus Badra

Atuou como produtor, repórter e apresentador na Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro há mais de dois anos, atuando nas editorias de Mercado e Tendências, Mobilidade Urbana, P&D e Equipamentos. Jornalista graduado pela PUC-Campinas.

Um comentário

  • Nelson Acar Filho disse:

    Com os recentes avanços da geração distribuída e a entrada da eletrificação do transporte pesado combinadas com o sucesso de automóveis como o Miraí da Toyota, Claity da Honda e os da Hyunday a Economia do Hydrogenio Verde pode ficar auto sustentável no Brasil antes de 2030.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.