29 de fevereiro de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,9GW

Investimentos em renováveis aumentam 17% e atingem US$ 1,8 trilhão em 2023

Aportes batem recorde, mas ainda são insuficientes para fazer o mundo atingir as metas estipuladas pelo Acordo de Paris

Autor: 31 de janeiro de 2024Mundo
3 minutos de leitura
Investimentos em renováveis aumentam 17% e atingem US$ 1,8 trilhão em 2023

Foto: Freepik

Os investimentos globais em energias renováveis aumentaram 17% e somaram cerca de U$$ 1,8 trilhão em 2023, de acordo com relatório da BloombergNEF divulgado nesta terça-feira (30).

Este número representa um novo nível recorde de investimento anual em transição energética, mesmo em um ano marcado por turbulências geopolíticas, taxas de juro elevadas e inflação de custos.

O valor inclui gastos com fontes solar e eólica, compra de veículos elétricos, construção de sistemas de produção de hidrogênio, além da implantação de outras tecnologias. 

Contudo, o estudo aponta que os números apresentados nem de longe são suficientes para fazer com que o mundo atinja a neutralidade carbono até meados deste século, conforme prevê o Acordo de Paris

O relatório avalia que para isso acontecer os gastos mundiais com fontes de energia limpa teriam que atingir, em média, US$ 4,8 trilhões por ano entre 2024 e 2030. Isto é quase três vezes o investimento total observado em 2023.

“O nosso relatório mostra a rapidez com que as oportunidades de energia limpa estão a crescer e, no entanto, o quão longe ainda estamos (da meta global de descarbonização)”, disse Albert Cheung, vice-diretor da BloombergNEF. 

“Os gastos com investimentos na transição energética cresceram 17% no ano passado, mas precisam crescer mais de 170% se quisermos chegar a atingir a neutralidade de carbono”, ressaltou o executivo. 

 Investimentos globais em renováveis nos últimos anos: 

 Fonte: BloombergNEF

O relatório também conclui que os investimentos na cadeia global de fornecimento de energia limpa, incluindo fábricas de equipamentos e produção de metais para baterias, deverão continuar crescendo e reduzindo os preços dos equipamentos na maioria dos setores.  

“Isso é uma boa notícia para a transição energética”, disse Antoine Vagneur-Jones, chefe de comércio e cadeias de abastecimento da BloombergNEF. 

Principais mercados

Ainda de acordo com o levantamento, o país que registrou os maiores aportes em energias renováveis no ano passado foi a China, com cerca de US$ 676 milhões em investimentos, o equivalente a 38% do total global. 

Embora continue dominante, a liderança chinesa foi reduzida frente a outras nações, como a União Europeia, os EUA e o Reino Unido – que, em conjunto, ultrapassaram a China com US$ 718 milhões investidos em 2023. 

Henrique Hein

Henrique Hein

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como repórter do Jornal Correio Popular e da Rádio Trianon. Acompanha o setor elétrico brasileiro pelo Canal Solar desde fevereiro de 2021, possuindo experiência na mediação de lives e na produção de reportagens e conteúdos audiovisuais.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.