19 de abril de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 13,4GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 28,5GW

Janeiro finaliza com maior condição de armazenamento no SIN em 11 anos

CMSE destaca boas perspectivas para o setor elétrico; média dos reservatórios pode ultrapassar 80% em fevereiro

Autor: 9 de fevereiro de 2023Setor Elétrico
4 minutos de leitura
Janeiro finaliza com maior condição de armazenamento no SIN em 11 anos

Usina hidrelétrica do Sistema Interligado Nacional. Foto: Rubens Fraulini

O CMSE (Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico) se reuniu, nesta quarta-feira (08), para a realização de suas 273ª e 274ª reuniões, referentes aos encontros ordinários dos meses de janeiro e fevereiro de 2023.

Durante o encontro, Alexandre Silveira, ministro de Minas e Energia, destacou a importância de que o setor elétrico trabalhe com empenho para conciliar os importantes pilares de segurança energética e modicidade tarifária, de maneira a impulsionar o crescimento econômico brasileiro e o desenvolvimento do país.

Entre os destaques, o CMSE avaliou as condições de suprimento eletroenergético ao sistema elétrico brasileiro. Conforme destacado pelo ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), o mês de janeiro de 2023 finalizou com as melhores condições de armazenamento do SIN (Sistema Interligado Nacional) dos últimos 11 anos.

No caso, foi registrado, para os subsistemas, os patamares de 69,8% no Sudeste/Centro-Oeste, 86,9% no Sul, 75,7% no Nordeste e 89,3% no Norte, o que contribuirá para o cumprimento dos objetivos de segurança do atendimento e modicidade tarifária nos próximos meses.

Como consequência da elevada disponibilidade de recursos energéticos, foi mencionada a verificação, no último mês, de excedentes de energia e vertimentos em todos os subsistemas.

Nesse cenário, foi viabilizada, pela primeira vez, a exportação comercial de energia elétrica do Brasil para a Argentina e para o Uruguai a partir de excedentes hidrelétricos.

Além disso, o MME informou que as bacias dos rios São Francisco e Grande permanecem com operação em condição de cheia, conforme diretrizes adotadas em prol da gestão dos usos múltiplos das águas e da devida segurança à população.

Em relação aos estudos prospectivos, que contemplaram avaliações estendidas até o final de julho, o ONS registrou a indicação de pleno atendimento tanto em termos de energia quanto de potência em todo o período, com perspectiva de atingimento dos maiores níveis de armazenamento dos últimos anos ao final do período tipicamente úmido (abril/2023).

Por fim, dentre outros temas, foram avaliadas as medidas adotadas pelas instituições setoriais, em parceria com órgãos e agentes, com vistas ao enfrentamento dos atos de vandalismos em infraestruturas de energia elétrica, ocorridas com significativa frequência em 2023.

Nesse sentido, a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) destacou as ações conduzidas pelo setor elétrico junto a agentes dos segmentos de geração, transmissão e distribuição de energia, que contemplaram atividades relacionadas, por exemplo, às inspeções nas instalações estratégicas, à operacionalização de planos de contingência e ao aprimoramento da comunicação junto à Agência.

Sobre o assunto, o ONS enfatizou também que a operação do SIN se manteve robusta mesmo diante das quedas de torres de transmissão verificadas, sem que houvesse interrupção do fornecimento de energia elétrica para os consumidores brasileiros.

Informações técnicas

Segue, abaixo, as informações técnicas separadas pelo Ministério de Minas e Eneriga:

Condições Hidrometeorológicas: em janeiro, os maiores totais de precipitação ocorreram nas bacias dos rios Grande, Paranaíba, alto São Francisco e no trecho incremental à UHE Itaipu. Em relação à ENA (Energia Natural Afluente), foram verificados valores acima da média histórica em todos os subsistemas, com exceção do subsistema Sul.

Considerando a ENA agregada do SIN, foi verificado valor de 117% da MLT (Média de Longo Termo). Para dezembro, e conforme estudos prospectivos apresentados na reunião, há a expectativa de valores de ENA para o SIN entre 89% e 101% da MLT, a depender do cenário considerado.

Energia Armazenada: ao final de janeiro, foram verificados armazenamentos equivalentes 69,8%, 86,8%, 75,7% e 89,4% nos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste, Sul, Nordeste e Norte, respectivamente.

Para o SIN, o armazenamento ao final de janeiro foi de 73,1%. A previsão para final de fevereiro de 2023 no subsistema SE/CO, conforme estudos prospectivos apresentados, varia entre 77,8% e 78,4% da EARmáx. Para o SIN, a previsão varia entre 80,5% e 80,7% da EARmáx.

Expansão da Geração e Transmissão: a expansão verificada em 2022 foi de 8.243 MW de capacidade instalada de geração centralizada de energia elétrica, 7.850 MW de geração distribuída, 9.217 km de linhas de transmissão e 23.707 MVA de capacidade de transformação.

Em janeiro de 2023, foi observada a implantação de aproximadamente 1.274 MW de capacidade instalada de geração centralizada, 864 MW de geração distribuída, 455 km de linhas de transmissão e 1.866 MVA de capacidade de transformação. Para 2023, há perspectiva de aumento de 10.303 MW de geração centralizada, 6.661 km de linhas de transmissão e 24.106 de capacidade de transformação.

Mateus Badra

Mateus Badra

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020. Atualmente, é Analista de Comunicação Sênior do Canal Solar e possui experiência na cobertura de eventos internacionais.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.