28 de janeiro de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 4.63GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 8,84GW

Jinko irá expandir capacidade de fabricação de células tipo N

De acordo com a empresa, essa tecnologia é a nova tendência para os módulos fotovoltaicos

Autor: 10 de janeiro de 2022Mundo
Jinko irá expandir capacidade de fabricação de células tipo N

"Tecnologia HOT 2.0 tipo N traz melhores coeficientes de temperatura". Foto: reprodução

A Jinko Solar anunciou que investiu em novas fábricas nas províncias de Anhui e Zhejiang, na China, para expandir sua capacidade de fabricação de células tipo N para 16 GW até o final de 2022.

“Estamos investindo muito no desenvolvimento de novas tecnologias, e as células tipo N vieram para revolucionar o mercado solar trazendo produtos com maior eficiência e geração de energia utilizando a mesma área”, disse Gustavo Silva, gerente de Serviços Técnicos da Jinko.

Segundo ele, a avançada tecnologia HOT 2.0 tipo N traz melhores coeficientes de temperatura de -0,35% (tipo P) a -0,30% (tipo N).

“Ademais, os módulos tipo N têm fator bifacial mais alto: 70% (tipo P) até 85% (tipo N), otimizando significativamente a capacidade de geração de energia. Portanto, essa tecnologia é a nova tendência para os módulos fotovoltaicos”, concluiu.

Na visão da fabricante, as células TOPCon tipo N têm maior probabilidade de se tornar a segunda tecnologia fotovoltaica mais comum no mundo depois da célula PERC, representando cerca de 15% do mercado mundial este ano.

“Em comparação com outras novas opções de tecnologia, as células TOPCon tipo N podem ser fabricadas de forma rápida e econômica, fornecendo uma alternativa de baixo custo para substituir o PERC como a próxima solução principal”, destacou a empresa em nota.

Leia mais: Jinko divulga destaques do 3º trimestre de 2021

Jinko recebe pedido de módulos de 1,85 GW

A Jinko divulgou também que ganhou um concurso oferecido pela CPECC (China Petroleum Engineering & Construction Corporation), afiliada da CNPC (China National Petroleum Corporation), especializada em engenharia de projetos e construção, para até 1,85 GW de seus painéis fotovoltaicos de alta eficiência.

De acordo com a companhia, esta é a maior aquisição de módulo solar de todos os tempos pela CNPC. As placas solares estão programadas para serem entregues durante 2022 para apoiar o pipeline de desenvolvimento solar da CNPC na China.

“Tornou-se uma prática comum que as empresas de energia tradicionais tentem alcançar suas ambições de baixo carbono desenvolvendo projetos de energia solar em escala GW, ao mesmo tempo em que abordam os riscos e a incerteza representados pela produção, preço e fornecimento de painéis cada vez mais voláteis”, disse a fabricante.

“Portanto, eles estarão empenhados em se comprometer com fornecedores confiáveis ​​que possam fornecer tecnologia avançada, produtos de qualidade, bem como preços firmes de longo prazo e compromissos de fornecimento, apoiados por reputação. As empresas petrolíferas tradicionais se beneficiarão da evolução da plataforma de tecnologia solar tipo N avançada da Jinko”, completou a Jinko.

Subsidiária da Jinko conclui registro IPO

A Jinko Solar deu um passo para listar sua subsidiária operacional principal no conselho de inovação Sci-Tech da Bolsa de Valores de Xangai (STAR ​​Market).

A companhia concluiu seu processo de registro de IPO com a CSRC (Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China) e em breve entrará no processo de emissão de sua IPO no mercado STAR.

“Estamos muito satisfeitos que Jiangxi Jinko entrará em breve no processo de emissão de sua IPO e ganhará acesso ao mercado de capitais em rápido crescimento na China, que acreditamos fortalecerá ainda mais nossa liderança na indústria fotovoltaica”, ressaltou Xiande Li, CEO da Jinko.

Mateus Badra

Mateus Badra

Atuou como produtor, repórter e apresentador na Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro há mais de um ano, atuando nas editorias de Mercado e Tendências, Mobilidade Urbana, P&D e Equipamentos. Jornalista graduado pela PUC-Campinas.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.