1 de julho de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 5.09GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 11,3W

Estádio do Qatar terá refrigeração alimentada por energia solar

Objetivo é que a tecnologia alivie a exposição às altas temperaturas durante a Copa do Mundo 2022

Autor: 7 de janeiro de 2022maio 30th, 2022Mundo
Estádio do Qatar terá refrigeração alimentada por energia solar

Education City possui 55% dos materiais oriundos de fontes sustentáveis. Foto: divulgação

Pela primeira vez na história das Copas do Mundo o torneio será realizado entre os meses de novembro e dezembro. Por conta das altas temperaturas que afetam o Qatar durante o meio do ano, quando é costumeiramente disputado o Mundial, a FIFA decidiu pela mudança em 2015.

Em função disso, o Qatar optou por desenvolver uma tecnologia inovadora de resfriamento nos estádios, alimentada por meio da energia solar. O objetivo é que a refrigeração alivie a exposição às elevadas temperaturas, entre 40-50 °C, tanto para atletas quanto equipes de jornalismo, trabalhadores e o público em geral.

O estádio Education City, na capital Doha, é um dos campos-sede da Copa do Mundo 2022 e possui uma estrutura especialmente projetada para evitar que as pessoas sofram com o calor extremo, mantendo a temperatura interna do local sempre abaixo de 27 °C.

Sistema de refrigeração alivia a exposição às altas temperaturas. Foto: divulgação

Sistema de refrigeração alivia a exposição às altas temperaturas. Foto: Divulgação

A arena possui uma área de 233 mil metros quadrados, espaço para 45.350 espectadores e as laterais se estendem e envolvem o campo de jogo, ajudando o sistema de resfriamento a funcionar. “Este é o primeiro estádio do mundo capaz de resfriar uma área tão aberta, com um combustível limpo como a energia solar fotovoltaica”, destacou o principal projetista do escritório de arquitetura espanhol Fenwick Iribarren Architects, responsável pelas obras.

Além da tecnologia de refrigeração à base de energia solar, pelo menos 55% dos materiais usados no projeto do estádio vêm de fontes sustentáveis e 28% dos materiais de construção têm conteúdo reciclado, minimizando a pegada de carbono. Em todo o local, espécies de plantas nativas e tolerantes à seca foram usadas em 75% do paisagismo.

Leia também

Saiba quais estádios do Brasil usam energia solar fotovoltaica

Certificação do GSAS

Outro ponto a ser ressaltado na Copa do Mundo realizada no Qatar é que cada local do torneio obterá a certificação GSAS (Sistema de Avaliação de Sustentabilidade Global). O nível de sustentabilidade de um local é certificado de acordo com várias categorias, incluindo design, construção, uso de energia e água.

Cada estádio está a caminho de receber uma classificação GSAS de quatro estrelas, no mínimo, para o projeto, construção e construção. O Education City e o Al Bayt Stadium alcançaram classificações de cinco estrelas.

Estádio Al Bayt Stadium alcançou classificação GSAS de cinco estrelas. Foto: divulgação

Estádio Al Bayt Stadium alcançou classificação GSAS de cinco estrelas. Foto: Divulgação

Reciclagem em estádios

Para limitar a pegada de carbono, todos os projetos Qatar 2022 implementaram medidas para organizar a segregação e gestão de resíduos durante a fase de construção. Os locais dos estádios desviaram os resíduos sólidos por meio da reciclagem.

Por exemplo, a maioria dos resíduos gerados no Estádio Al Janoub (90%) e no Estádio Ahmad Bin Ali (84%) foi reciclada durante a construção. Sistemas de reciclagem também estarão disponíveis durante os dias de jogos.

Transporte público sustentável

O novo metrô de Doha será responsável pelo transporte de milhares de fãs em todo o país durante a Copa do Mundo. O sistema elétrico do mesmo usa sistemas de frenagem regenerativos que ajudam a reduzir a pegada de carbono.

Os planos de transporte sustentável do Qatar também se estendem a VEs (veículos elétricos) e ônibus. Em colaboração com a KAHRAMAA, estações de carregamento para os eletrificados estão sendo instaladas em vários locais do país.

Scooters e bicicletas elétricas também estão disponíveis ao ar livre, incluindo parques e o Doha Corniche. Enquanto isso, uma frota de ônibus elétricos será usada para transportar os fãs entre suas acomodações e os locais da competição.

Usina solar de 800 MW

A usina de energia solar Al Kharsa’ah também ajudará a reduzir a pegada de carbono do país. Localizada a 80 km a oeste de Doha, a planta fotovoltaica de 800 MW limitará a dependência do Qatar do gás para geração de energia.

Curiosidades sobre a temperatura no Qatar

Localizado em uma região desértica, o clima característico do país do Oriente Médio é muito quente e árido, bastante seco e com pouca umidade. A região possui a maior parte dos meses com elevadas temperaturas e um período menor com o clima mais ameno.

Entre março e outubro, meses mais quentes do ano no país, o Qatar registra sempre temperaturas acima dos 30 °C, inclusive durante as noites e madrugadas. No ápice do calor, é comum fazer entre 40 °C e 50 °C, com a sensação térmica podendo chegar na casa dos 60 °C.

Por outro lado, nos meses de novembro e fevereiro, quando o emirado apresenta temperaturas mais baixas, o clima cai drasticamente em comparação com os outros meses. Durante o período da Copa do Mundo, é possível que as condições climáticas oscilem com mínima de 10 °C e máxima de 20 °C.

Mateus Badra

Mateus Badra

Atuou como produtor, repórter e apresentador na Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro há mais de dois anos, atuando nas editorias de Mercado e Tendências, Mobilidade Urbana, P&D e Equipamentos. Jornalista graduado pela PUC-Campinas.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.