Liderança da COP28 quer fechar acordo sobre renováveis nos primeiros dias de evento, diz Irena

O evento ocorrerá nos dias 30 de novembro a 12 de dezembro em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos
O evento ocorrerá nos dias 30 de novembro a 12 de dezembro em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos
Francesco La Camera, diretor-geral da Irena (Agência Internacional de Energias Renováveis). Foto: Divulgação-SIEW

A chefia da COP 28 da ONU (Organização das Nações Unidas) quer fechar acordo sobre renováveis nos primeiros dias de evento, afirmou a Irena (Agência Internacional para as Energias Renováveis). O evento ocorrerá nos dias 30 de novembro a 12 de dezembro deste ano em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

De acordo com a organização, a proposta inicial é que seja firmado um compromisso para triplicar a capacidade de produção de energias renováveis e duplicar a eficiência energética global até o ano de 2030, quando devem estar presentes presidentes e líderes de várias nações.

O presidente da COP28, Sultan al-Jaber, havia manifestado a intenção de estabelecer metas para o aumento da produção de energias renováveis. No entanto, a novidade agora reside na urgência em apresentar uma decisão concreta durante a cúpula dos líderes mundiais, marcada para os dias 1° e 2 de dezembro, ao invés de utilizar toda a duração do evento para a negociação.

“A presidência da COP28 apoia fortemente a mensagem de triplicar a energia renovável e dobrar a eficiência e introduziu um compromisso global para esta meta, que será assinado por vários líderes na Cúpula Mundial de Ação Climática, durante a COP28”, disse o diretor-geral da Irena, Francesco La Camera.

“Juntamente com a Irena, este compromisso está sendo encampado pela União Europeia, Barbados, Chile, Quênia e pelos EUA. A indústria também está ouvindo este apelo e cerca de 250 empresas já o assinaram”, afirmou.

“Já vimos o compromisso do G7 com o aumento da energia solar e eólica. Depois, vimos o G20 que, na sua declaração final, colocou a referência a triplicar as renováveis. E vimos na Cúpula do Clima da África e de Nova York que os países estão avançando nessa direção”, acrescentou Camera.

Para o diretor, o descumprimento da meta mesmo que ela seja assinada, como vem acontecendo com outros acordos firmados em COPs anteriores, ele aponta que  para alcançar o compromisso de triplicar a capacidade de produção de energias renováveis e dobrar a eficiência energética até 2030, é vital superar três obstáculos fundamentais. 

“Uma delas é a infraestrutura física”, disse o gerente referindo-se à inexistência de usinas eólicas ou solares. “Também são necessários um ambiente jurídico favorável e medidas políticas que criem demanda por exemplo, por hidrogênio”, afirmou.

“E precisamos aumentar as capacidades institucionais. A formação e a adaptação da mão de obra deve ser uma das prioridades”, concluiu.

 

Imagem de Yvana Leitão
Yvana Leitão
Produtora do Podcast Papo Solar. Possui experiência produção e elaboração de matérias jornalísticas. Graduanda em jornalismo pela Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação de Campinas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal