23 de abril de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 13,4GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 28,6GW

Marco legal da GD deve ser votado em 11 de março, diz Lafayette Andrada

O PL estava previsto para ser votado no início de 2021, mas acabou sendo postergado devido à pandemia da Covid-19

Autor: 4 de março de 2021abril 22nd, 2021Brasil
2 minutos de leitura
Marco legal da GD deve ser votado em 11 de março, diz Lafayette Andrada

O deputado federal Lafayette Andrada (Republicanos/MG) disse que o marco legal da GD (geração distribuída) deverá ser votado na próxima quinta-feira (11) pela Câmara dos Deputados. A afirmação foi feita em uma entrevista promovida pela ABGD (Associação Brasileira de Geração Distribuída) na noite da última terça-feira (2). 

Inicialmente, a proposta estava prevista para ser votada no início do ano passado, mas acabou sendo postergada devido à pandemia da Covid-19.

O tema foi retomado somente em dezembro, quando a Câmara dos Deputados votou pela urgência do PL 5829 (Projeto de Lei 5829/19), de autoria do parlamentar Silas Câmara (Republicanos/AM), em que o deputado Lafayette é o relator.

A votação realizada no final do ano possibilitou que o documento pudesse ser votado no Plenário a qualquer momento. Segundo Lafayette, a iniciativa rebate a sugestão da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) de taxar o setor solar e será um marco legal no país, cessando as discussões sobre a REN 482 (Resolução Normativa n.º 482/2012) e promovendo uma revisão completa de toda a legislação do setor elétrico brasileiro.

Em junho do ano passado, em entrevista exclusiva ao Canal Solar, o deputado detalhou as mudanças que a proposta traz para o setor de elétrico, principalmente para o segmento de energia solar. Entre elas, estão a separação das categorias da GD e o pagamento progressivo de 28% da tarifa de energia. 

Para a elaboração do documento, o parlamentar diz ter participado de debates e reuniões virtuais com representantes do setor durante a pandemia. Ele também alega ter ouvido todos os segmentos envolvidos: hidrelétrico, eólico, solar, nuclear, biomassa, PCHs, distribuição, transmissão, entre outros. 

Resolução 482

A discussão sobre a resolução 482 ganhou proporções estratosféricas no país recentemente. Profissionais e entidades do setor solar afirmam que mudanças nas regras atuais podem inviabilizar a continuidade do crescimento da energia fotovoltaica em propriedades de consumidores de energia. 

Na semana passada, onze associações do setor de GD divulgaram um manifesto contra a proposta da ANEEL. Semanas antes, o diretor-geral da agência, André Pepitone, havia se pronunciado diante das polêmicas, garantindo ser favorável a GD e a Resolução 482

Henrique Hein

Henrique Hein

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como repórter do Jornal Correio Popular e da Rádio Trianon. Acompanha o setor elétrico brasileiro pelo Canal Solar desde fevereiro de 2021, possuindo experiência na mediação de lives e na produção de reportagens e conteúdos audiovisuais.

2 comentários

  • Marcos Brilhante disse:

    Mas afinal quais seriam essas principais mudanças?… o PL 9829/19 será favorável ou prejudicial ao GD?

    • [email protected]
      Será prejudicial com certeza , Esse dep Lafayette Andrada e totalmente a favor das Concessionárias de Energia , a PL tem uma das principais mudança é a cobrança de no mínimo 28% de quem gera a própria Energia , aumentando gradativamente até chegar a 70% isso vai inviabilizar o setor no Brasil , ao invés de estimular , querem taxar o Sol

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.