21 de fevereiro de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,8GW

Mercado de energia solar vislumbra bons resultados para o 2º semestre

Perspectivas são positivas e setor deve manter crescimento de negócios e empregos

Autor: 6 de agosto de 2021Opinião
2 minutos de leitura
Mercado de energia solar vislumbra bons resultados para o 2º semestre

A cada mês que passa, conforme a vacinação avança, a pandemia de Covid-19 vai arrefecendo no Brasil. 

Diferente de outros setores, o mercado de energia solar fotovoltaica sentiu menos os reflexos da crise econômica intensificada pela pandemia e se manteve firme e crescente, com potencial para fechamento de negócios e geração de empregos.

Mas, agora que já passamos da metade do ano, o que podemos esperar dos próximos meses?

Se tomarmos como base o cenário registrado nos primeiros meses de 2021, vislumbramos um segundo semestre muito bom para o setor de energia solar fotovoltaica, com expectativa de crescimento mês a mês. 

E, embora ainda não seja possível prever quando essa situação de pandemia vai acabar, a projeção otimista está baseada em fatores como a crise hídrica, que reforça ao mercado consumidor que é possível, sim, gerar sua própria energia. 

Isso, aliado à tendência de aquecimento da economia e ao fato de que as pessoas já aprenderam a conviver com o cenário de pandemia.

Na minha visão, no segundo semestre o mercado de energia solar deve sentir um aquecimento na procura por geradores solares. O agravamento da crise hídrica já enfrentada em estados do Sul e do Sudeste desencadeia a crise energética e, consequentemente, eleva os custos da energia para o consumidor. 

Com isso, a demanda por geração de energia solar desponta ainda mais como uma alternativa, não somente no que diz respeito à redução de custo, mas também como uma opção de fonte de energia sustentável.

Vale destacar, no entanto, que o aumento na demanda, mesmo com uma eventual queda do dólar, ainda não significará a possibilidade de repasse de preços mais baixos para os distribuidores. 

Isso porque o valor dos materiais está subindo no exterior diante de uma combinação de fatores, como a alta demanda mundial e especialmente dentro da China (que se comprometeu a ter uma economia de carbono neutro até 2060), além de dificuldades na cadeia de suprimentos e do frete internacional.

Com tudo isso, seguimos firmes e otimistas, trabalhando para levar energia solar ao alcance de todos.

Leandro Martins

Leandro Martins

Presidente da Ecori Energia Solar, com larga experiência, referência em energia solar fotovoltaica. Responsável pela popularização da tecnologia MLPE no Brasil, trazendo inicialmente a marca APsystems, e mais tarde, a SolarEdge para o país. Atua no mercado internacional desde 1996 em diversos segmentos e é formado em Comércio Exterior pela UNIBERO-SP.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.