4 de março de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,9GW

Todo inversor fotovoltaico possui sistema AFCI?

O AFCI é um sistema de segurança que pode ser embutido no inversor

Autor: 30 de novembro de 2022janeiro 24th, 2023Artigos técnicos
4 minutos de leitura
Todo inversor fotovoltaico possui sistema AFCI?

O AFCI tem como função monitorar a ocorrência de arcos elétricos do tipo série

A dúvida que dá nome a este artigo tem surgido recentemente no mercado brasileiro. Tanto consumidores como projetistas e fornecedores de sistemas fotovoltaicos já devem ter ouvido falar sobre o termo AFCI, que significa interruptor de falha de arco elétrico.

O assunto é ainda um pouco recente no Brasil. O primeiro artigo sobre AFCI no setor fotovoltaico brasileiro foi publicado pelo Canal Solar em dezembro de 2020 “Proteção contra arco elétrico nos inversores fotovoltaicos“.

Recentemente, o assunto do AFCI vem ganhando destaque no mercado nacional. Vários fabricantes de inversores já estão disponibilizando sistemas de AFCI em seus produtos, como Solis e Huawei, mas nem todos os inversores disponíveis no mercado possuem esse recurso.

O AFCI é um sistema de segurança que pode ser embutido no inversor. Sua função é monitorar a ocorrência de arcos elétricos do tipo série, que são arcos causados por maus contatos nas instalações de corrente contínua (ou seja, nos circuitos dos módulos fotovoltaicos).

Esses maus contatos podem estar presentes na conexão dos cabos das strings na entrada do inversor, em qualquer ponto da stringbox ou mesmo nos conectores dos módulos fotovoltaicos no telhado.

Um arco elétrico pode ser iniciado em qualquer ponto do circuito de corrente contínua de uma instalação fotovoltaica que possui uma ou mais strings.

O arco elétrico é a principal causa de incêndios nos sistemas fotovoltaicos. Embora raros, estes incêndios podem ocorrer. O arco elétrico de corrente contínua, que é o tipo originado nos circuitos com módulos fotovoltaicos, é de difícil extinção. Uma vez iniciado, se o sistema fotovoltaico não for desligado, o arco só vai cessar depois que o incêndio tiver se alastrado.

Como saber se o inversor possui AFCI?

Embora seja um importante recurso, nem todos os fabricantes de inversor possuem essa funcionalidade. O AFCI não é um recurso obrigatório no Brasil e poucos inversores disponíveis no mercado trazem esta função. A informação sobre a disponibilidade do AFCI pode ser encontrada na folha de dados do equipamento, como nos exemplos mostrados abaixo.

Todo inversor possui sistema AFCI?

Trecho da folha de dados dos inversores S5-GR1P(7-10)K, que possuem o recurso AFCI. Fonte: Solis

Todo inversor possui sistema AFCI?

Trecho da folha de dados dos inversores SUN2000-12/15/17/20KTL-M0, que possuem o recurso AFCI. Fonte: Huawei

Todo inversor possui sistema AFCI?

Trecho da folha de dados dos inversores SE9200H, SE6000H, SE9200H, que possuem o recurso AFCI. Fonte: SolarEdge

Caso as palavras AFCI, “arco elétrico” ou “arc fault” não sejam encontradas na folha de dados do equipamento, há um grande indício de que o inversor não possui o recurso.

Outras dúvidas sobre o AFCI

O AFCI é um recurso obrigatório? Não, mas ele é desejável. Como ele não é exigido (ainda) normativamente no Brasil, cabe ao consumidor optar pela aquisição de um equipamento que possui esse recurso.

O AFCI é um recurso necessário? Sim, pois arcos elétricos podem surgir a qualquer momento, em qualquer sistema fotovoltaico com strings (ou seja, exceto os sistemas com microinversores), mesmo que ele tenha sido bem instalado. Proteção nunca é demais.

O AFCI tem um custo muito elevado? Não, pois na maioria dos casos, o sistema AFCI é embutido no software do inversor, sendo um sistema que deve não requer hardware adicional e não acrescenta custos significativos aos inversores.

O AFCI vai se tornar um recurso obrigatório? Provavelmente, sim. Isso pode demorar ainda algum tempo para acontecer no Brasil, mas é possível que o sistema de AFCI seja introduzido nas próximas atualizações das normas para inversores da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e nas portarias do INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) para a certificação de inversores para sistemas fotovoltaicos.

Bruno Kikumoto

Bruno Kikumoto

Engenheiro Eletricista pela UDESC. Mestre em Engenharia Elétrica pela UNICAMP. Diretor do Canal Solar. Especialista em gerenciamento de projetos, inspeção e comissionamento de sistemas fotovoltaicos, com mais de 10 anos de experiência na indústria e no mercado de energia.