Tutorial PVSyst: mapeamento de geração e ferramenta de otimização

Mapear a geração de energia pode ser um processo muito interessante para melhor aproveitamento do equipamento
3 minuto(s) de leitura
Tutorial PVSyst: mapeamento de geração e ferramenta de otimização

O PVSyst possui um módulo capaz de simular de forma repetitiva e automática o mesmo sistema sob múltiplas orientações, inclinações e distanciamento entre fileiras repetidamente, variando os parâmetros em passos e mapeando a geração para cada um dos casos.

O mapeamento da geração de energia é muito útil para se comparar como um mesmo sistema num mesmo local se comporta ao se variar sua inclinação e orientação.

O projetista pode, por exemplo, decidir de forma rápida se um telhado voltado a 35º leste com inclinação de 10º gerará mais energia que um telhado com 45º para o oeste com inclinação de 5.

Neste tutorial será mostrado como utilizar a ferramenta de otimização e mapeamento de geração do PVSyst. Para entender melhor os efeitos das correções, os ganhos de energia e as preocupações com segurança leia os artigos Os módulos FV devem ser orientados sempre para o Norte? e Vale a pena ajustar a angulação dos módulos solares nos telhados?.

Tutorial

Para utilizar a ferramenta de mapeamento da geração é necessário possuir um esboço do sistema final já contendo todos os componentes, condições meteorológicas, perdas conhecidas, etc. Neste tutorial o sistema utilizado é composto de 13 módulos de 400 W ligados em uma string de um inversor de 8,2 kW na cidade de Campinas (SP).

1º passo

Com o sistema definido, clique em Advanced Simulation. Na janela que se abre, clique em Optimization Tool

2º passo

 

 

Na janela da figura abaixo selecione os parâmetros a serem variados e simulados. No caso de se ter definido os módulos alocados em um plano simples, as opções de simulação serão “Tilt” que é a inclinação e “Azimuth” que é o azimute. Caso se tenha selecionado a disposição dos módulos em múltiplas mesas, a opção “Pitch” também aparecerá para a otimização.

Selecione a inclinação e o azimute máximos e mínimos e a quantidade de passos (Steps) que se deseja variar cada um desses items. Quanto maior o número de passos, mais detalhado será o mapa de geração, porém mais lenta será a simulação.

No exemplo da figura abaixo, o sistema está sendo simulado de 0 até 50 graus de inclinação em 6 passos, ou seja, a cada 10º e a orientação simulada de Leste para Oeste em cinco passos. Ao clicar em “Run”, o programa inicializará as simulações e informará o tempo estimado para completá-las.

Abaixo alguns exemplos de simulação variando o número de passos para o mesmo sistema.

Simulação 1

Mapeamento de geração em cinco passos de azimute (leste a oeste) e seis passos de inclinação (entre 0º e 50 º).

Simulação 2

Mapeamento de geração em 10 passos de azimute (leste a oeste) e 11 passos de inclinação (entre 0º e 50º).

Simulação 3

Mapeamento de geração em 30 passos de azimute (leste a oeste) e 31 passos de inclinação (entre 0º e 50º). Também é possível simular um sistema com múltiplas mesas variando tanto a inclinação, o azimute e o distanciamento entre elas (Pitch).

Na figura abaixo, um sistema com 18 mesas foi simulado variando o distanciamento (Pitch) entre três metros e 15 metros.

Simulação 4

Quantidade de energia gerada em relação ao espaçamento entre as mesas. A partir de cinco metros de distanciamento as perdas por sombreamento mútuo diminuem significativamente.

 

Imagem de Mateus Badra
Mateus Badra
Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal