97% das conexões da geração distribuída são da fonte fotovoltaica

É preciso acabar com o mito de que a GD (geração distribuída) é para grandes empresários e consumidores mais abastados
97% das conexões da geração distribuída são da fonte fotovoltaica

O Brasil registrou um marco histórico de mais de 400 mil UCs (unidades consumidoras) que utilizam fontes renováveis, segundo dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica). Com 97% do total de UCs conectadas, a energia solar fotovoltaica representa a ampla maioria de todas as conexões, com cerca de 389 mil unidades.

Ainda de acordo com a ANEEL, a região Sudeste é a que possui maior número de UCs que recebem crédito por meio da fonte fotovoltaica, com cerca de 173 mil unidades beneficiadas, seguida da região Sul, com aproximadamente 89 mil UCs, e da região Nordeste, com mais de 66 mil unidades consumidoras.

“A tendência mundial é que cada vez mais consumidores optem por outra forma de produzir e consumir a própria energia, de maneira mais econômica, eficiente e sustentável”, destaca Carlos Evangelista, presidente da ABGD (Associação Brasileira de Geração Distribuída).

Do total das UCs que recebem crédito por meio da fonte solar, mais de 268 mil são da classe residencial, cerca de 78 mil são da classe comercial, aproximadamente 30 da classe rural e mais de 10 mil, da classe industrial.

“É preciso acabar com o mito de que a GD (geração distribuída) é para grandes empresários e consumidores mais abastados. Há projetos de todos os tamanhos e com fontes diversificadas, além de inúmeros projetos sociais levando os benefícios da geração distribuída aos mais carentes”, acrescenta Evangelista.

De acordo com o executivo, após um ano de dificuldade devido à Covid-19, 2021 poderá ter um crescimento expressivo de unidades consumidoras e conexões. “A geração distribuída é uma excelente oportunidade em um cenário de recuperação econômica. Ela significa economia financeira, redução de perdas com transporte de energia e mais sustentabilidade, uma característica cada vez mais procurada pelos consumidores”, ressalta.

O presidente da ABGD ainda comenta sobre as expectativas sobre a criação do marco legal da GD no país.
“Estamos trabalhando para que todo prosumidor não tenha que pagar o custo de disponibilidade, que é a taxa mínima cobrado pelas distribuidoras para manter-se conectado à rede. Com isso, iremos inserir mais 70 milhões de novos consumidores no mercado de GD que poderão assim se beneficiar das vantagens da geração distribuída com fontes renováveis de energia”, conclui.

Imagem de Ericka Araújo
Ericka Araújo
Head de jornalismo do Canal Solar. Apresentadora do Papo Solar. Desde 2020, acompanha o mercado fotovoltaico. Possui experiência em produção de podcast, programas de entrevistas e elaboração de matérias jornalísticas. Em 2019, recebeu o Prêmio Jornalista Tropical 2019 pela SBMT e o Prêmio FEAC de Jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal