Bahia recebe 1º projeto da Neoenergia para geração de energia solar distribuída

Usina solar, com potência de 3 MW, será construída na região do Vale do Jequitinhonha
28-09-23-canal-solar-Bahia recebe 1º projeto da Neoenergia para geração de energia solar distribuída
Foto: Neoenergia/Divulgação

Os moradores e empresários que atuam na área de concessão da Neoenergia no estado da Bahia poderão comprar energia com custo mais competitivo a partir da entrada em operação da primeira usina solar de geração distribuída do grupo.

O empreendimento, com potência de 3 MW, será construído nas proximidades da Usina Hidrelétrica de Itapebi, também pertencente à empresa, localizada na região do Vale do Jequitinhonha.

Nesse projeto, denominado GD Itapebi, a energia gerada será injetada na rede da distribuidora local, beneficiando a população e empreendimentos comerciais na região. A Neoenergia tem estudado e desenvolvido centrais solares de geração distribuída, uma abordagem descentralizada que integra o sistema diretamente à rede de distribuição dos clientes.

Com a GD Itapebi, a Neoenergia afirmou que inaugura uma nova era no desenvolvimento das energias sustentáveis no Brasil com um conceito inovador de aproveitamento de sítios e integração entre as áreas. Esse modelo poderá ser aplicado em outras centrais hidrelétricas do grupo.

“O projeto solar de geração distribuída em Itapebi alinha-se perfeitamente com a nossa visão de negócios centrada na sustentabilidade energética. Através dessa iniciativa, ampliaremos nossas ofertas e ofereceremos maior eficiência aos nossos futuros clientes”, disse Fernando Torga, gerente de Promoção Eólica e Fotovoltaica da Neoenergia.

“Esse empreendimento robustece os objetivos sustentáveis do nosso grupo, otimiza a alocação de recursos, promove investimentos em energia limpa e reforça a sustentabilidade do nosso negócio. Simultaneamente, ampliaremos a nossa carteira energética, impulsionando a nossa posição no mercado”, ressaltou.

“Essa abordagem não apenas ampliará nossa capacidade de geração, mas também nos permitirá otimizar em escala locacional o uso de recursos naturais e reduzir nossa pegada de carbono, alinhando-nos com as metas de sustentabilidade e ESG”, acrescentou Márcio Manus, gerente de Engenharia Civil e Novos Negócios da Neoenergia.

Imagem de Mateus Badra
Mateus Badra
Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal