2 de março de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,9GW

Brasil e Paraguai reduzem tarifa de energia elétrica da Itaipu em 19,5%

Conselho de Administração da hidrelétrica ajustou o valor de 20,75 US$/kW para 16,71 US$/kW para 2023

Autor: 18 de abril de 2023Setor Elétrico
3 minutos de leitura
Brasil e Paraguai reduzem tarifa de energia elétrica da Itaipu em 19,5%

Barragem da usina de Itaipu no rio Paraná, entre Brasil e Paraguai. Foto: Divulgação/Itaipu

A Itaipu Binacional definiu, nesta segunda-feira (17), a tarifa de serviço de eletricidade para o exercício de 2023. O valor fixado em 16,71 US$/kW é 19,5% menor que o custo praticado em 2022, que era de 20,75 US$/kW. 

A definição ocorreu na reunião extraordinária do Conselho de Administração da Itaipu, na sede do MME (Ministério de Minas e Energia), em Brasília (DF), e em videoconferência com a sede da Itaipu em Assunção, no Paraguai.

Durante o encontro, os entraram conselheiros brasileiros e paraguaios em consenso sobre o Cuse (Custo Unitário dos Serviços de Eletricidade), ou seja, o custo para produção de energia da Itaipu.

O Cuse, basicamente, considera as despesas de exploração (a operação, manutenção e gestão da empresa e os projetos socioambientais), os encargos do Anexo C (como o pagamento dos royalties), além de empréstimos e financiamentos, entre eles a dívida de construção da usina, que foi totalmente paga em fevereiro deste ano.

No Brasil, a tarifa da Itaipu é um dos componentes considerados para definição da Tarifa de Repasse, aplicada ao consumidor pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

A Tarifa de Repasse é formada pela soma do Cuse, da remuneração paga ao Paraguai pela energia cedida, entre outros componentes.

Este valor é homologado pela ANEEL e cobrado pela ENBpar (Empresa Brasileira de Participações em Energia Nuclear e Binacional) das distribuidoras de energia. 

Avaliação

De acordo com o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Enio Verri, a redução da tarifa traz benefícios ao consumidor de energia sem causar prejuízo à qualidade da prestação de serviços de Itaipu, como o fornecimento de energia limpa e renovável para o Brasil e o Paraguai, além da manutenção de projetos socioambientais e de investimentos no desenvolvimento sustentável dos dois países.

“Este acordo representa o respeito mútuo entre Brasil e Paraguai. Chegamos a um consenso binacional, com uma redução significativa, mantendo a capacidade da Itaipu para investimentos sociais, ambientais e em infraestrutura”, garantiu Verri.

Conselho da Itaipu

O Conselho de Administração da Itaipu é composto por 12 conselheiros, sendo seis brasileiros e seis paraguaios, e dois representantes dos ministérios das Relações Exteriores, um de cada país.

O Conselho se reúne a cada dois meses ou em convocação extraordinária, como a desta segunda-feira (17). 

Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, 2,9 bilhões de MWh.

Em 2022, foi responsável por 8,6% do suprimento de eletricidade do Brasil e 86,3% do Paraguai. 

Henrique Hein

Henrique Hein

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como repórter do Jornal Correio Popular e da Rádio Trianon. Acompanha o setor elétrico brasileiro pelo Canal Solar desde fevereiro de 2021, possuindo experiência na mediação de lives e na produção de reportagens e conteúdos audiovisuais.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.