24 de outubro de 2021

Como deve ser realizada a limpeza dos painéis solares?

Fabricantes recomendam em seus manuais como dever ser realizado o processo

Autor: 26 de janeiro de 2021julho 27th, 2021Notícias
Como deve ser realizada a limpeza dos painéis solares?

Entre os processos de manutenção dos módulos fotovoltaicos, a limpeza dos painéis é um item essencial. Isto porque o acúmulo de sujeira pode reduzir em até 25% a eficiência energética de um painel, segundo o NREL (National Renewable Energy Laboratory – Laboratório Nacional de Energia Renovável).

Empresas de energia solar relatam perdas de até 30% em casos em que o usuário nunca realizou a limpeza dos painéis – isso em situações extremas, em locais onde há uma baixa incidência de chuvas.

Para auxiliar neste item de manutenção, e garantir a eficiência dos painéis solares, existem no mercado fotovoltaico brasileiro diversas empresas que oferecem produtos e serviços destinados à limpeza dos módulos fotovoltaicos.

Mas afinal, o que os fabricantes de painéis solares recomendam? Quais são os produtos que podem ser utilizados? Em qual período os módulos devem ser limpos? Pode usar solvente? É permitido o uso de máquina de pressão?

Estas perguntas são feitas diariamente em grupos de WhatsApp e Telegram. Para esclarecer estas dúvidas, o Canal Solar consultou manuais de limpeza das principais fabricantes e ouviu especialistas do mercado fotovoltaico nacional e internacional.

Está tudo no manual do painel

Todo equipamento possui um manual que tem como finalidade orientar e informar sobre a sua correta aplicação, operação e manutenção. Seguir suas orientações é garantia de assegurar um bom funcionamento do produto.

Por isso, representantes de fabricantes de painéis solares destacam que ao limpar um painel é fundamental a sua leitura já que, embora tenha recomendações similares, cada empresa possui orientações próprias para a limpeza deste equipamento.

De acordo com os manuais das principais fabricantes, os fatores mais importantes durante a limpeza dos painéis solares são os intervalos do processo de limpeza, os produtos e equipamentos que podem ser utilizados e quais cuidados devem ser tomados durante o processo de limpeza.

Quando deve ser feita a limpeza?

Os manuais de diversas fabricantes, entre elas a JA Solar, a LONGi, a Jinko, a Risen e a Trina, recomendam que os painéis devem ser limpos anualmente, porém afirmam que em locais com muita poeira e poluição, a limpeza é recomendada a cada seis meses.

Já a fabricante BYD orienta, em seu manual, que a limpeza deve ser realizada a cada três meses e que este intervalo pode ser reduzido dependendo do ambiente em que os produtos estejam instalados.

Ainda segundo a fabricante, o horário mais adequado é no início da manhã ou final da tarde, quando os módulos apresentam uma menor temperatura em sua superfície. Isso vai evitar possíveis danos causados ao vidro devido ao choque térmico, ou seja, o contato da água fria com a alta temperatura presente na superfície do módulo.

Outro ponto importante apontado pelos manuais é que antes do processo de limpeza é preciso que seja feita uma inspeção dos módulos quanto a rachaduras, danos e conexões soltas.

Além disso, afirmam que a superfície posterior do módulo não precisa ser limpa, mas caso seja necessário, deve ser evitado o uso de quaisquer projetos pontiagudos que possam danificar o módulo.

Quais produtos utilizar?

Uma dúvida recorrente entre os profissionais é sobre quais produtos devem ser usados no processo de limpeza dos painéis.

De acordo com o manual da Risen, podem ser utilizados panos macios secos ou úmidos e esponjas. Porém, não devem ser utilizados solventes corrosivos e nem objetos rígidos.

Já a JA Solar destaca, em seu manual, que não é permitido o uso de ferramentas de metal, como lâminas, facas, lã de aço e outros materiais abrasivos para realizar a limpeza.

Em concordância com os manuais da JA Solar e da Risen Energy, a Canadian Solar e a Jinko Solar afirmam, em seus manuais, que não é recomendado utilizar água com alto teor de minerais ou soluções corrosivas de limpeza que contenham ácido hidrofluorídrico e substâncias alcalinas, acetona ou álcool industrial.

Caso um painel seja danificado, devido ao uso de um produto de limpeza não recomendado pelos fabricantes, Gustavo Tegon, diretor de Vendas na Canadian, exemplificou quais danos podem ocorrer.

“O uso de um produto não recomendado pelos fabricantes poderá danificar ou até remover por completo a camada de tratamento anti-reflexivo do vidro, causando também manchas no mesmo. O resultado disso tudo é a perda de geração de energia e também da garantia do produto”, afirmou.

A Risen ainda ressalta em seu manual que não deve ser usada água fria para limpar o módulo quando a temperatura estiver alta durante o dia, caso contrário, haverá o risco de danos no painel.

É permitido o uso de uma máquina de pressão de água?

Quanto à utilização de máquinas de limpezas, nem todas as fabricantes possuem recomendações iguais. Enquanto a Risen e a Znshine recomendam que a pressão da água na superfície de vidro do módulo não deve exceder 700 kPa (7 bar), a JA Solar destaca que a pressão da água de limpeza deve ser inferior a 690 kPa (6,89 bar).

Já segundo o manual da Canadian, para o uso de máquinas, a pressão máxima de água recomendada é 4.000 kPa (40 bar). E no manual da BYD, a fabricante informa que a pressão da água deve ser regulada até 5.000 kPa (50 bar). De acordo com a BYD, esta limitação tem como objetivo evitar danos à superfície de vidro e perda da taxa de transparência da luz.

Quem pode realizar a limpeza?

Em seus manuais, as fabricantes orientam que a limpeza dos painéis deve ser realizada por uma equipe treinada e que os trabalhadores devem usar EPIs (equipamento de proteção individual).

No Brasil, há diversas empresas que já oferecem a instalação e/ou os equipamentos, também garantem um serviço de manutenção especializado, por um certo custo.

Por exemplo, residências com um único pavimento, o processo acaba por exigir menos equipamentos, bastando uma escada para facilitar o acesso aos painéis, um rodo com um pano úmido – em alguns casos, um extensor do cabo pode ajudar – e uma mangueira com um jato de água.

Entretanto, em instalações mais complexas, feitas em locais mais altos, com dificuldade no acesso, é fundamental que a limpeza seja feita com o auxílio de profissionais especializados, com os equipamentos de segurança apropriados.

Ericka Araújo

Ericka Araújo

Desde 2020, acompanha o mercado fotovoltaico. Possui experiência em produção de podcast, programas de entrevistas e elaboração de matérias jornalísticas. Em 2019, recebeu o Prêmio Jornalista Tropical 2019 pela SBMT (Sociedade Brasileira de Medicina Tropical) e o Prêmio FEAC de Jornalismo. Já atuou como repórter e apresentadora da Rádio Brasil Campinas. Formada pela PUC Campinas.

4 comentários

  • Vi algumas recomendações para desligar o sistema durante a limpeza.

    Existe alguma recomendação neste sentido?

    Lembrando que mesmo que sejam desligados os inversores os painéis ainda estarão gerando energia…

  • Pedro Rosa disse:

    Painel não pode ser lavado muito quente, e deve ser lavado com detergente próprio, água pura provoca manchas estas manchas reduzem a penetracao dos raios solares.

  • Valmir disse:

    Bkm dia eu seu que tem que limpar com agua sem usar nehum produto .as quanto a temperatura ai ja e compricado porque ai o dia bem quente ai cai aquela chuva ai os paineis estao quente e ai quanto sensiveis eles tem os vidro encima para proteger de chuva de granisio e tudo mais como e que pode ser sensivel a um pano umido

  • Moacir Bueno disse:

    Matéria excelente, sou da área atuo no ramo, gostei

Comentar