24 de outubro de 2021

Em quanto tempo o sistema solar retorna o investimento?

O tempo de retorno do investimento gira em torno de 4 a 5 anos, dependendo do local onde é instalado

Autor: 13 de janeiro de 2021agosto 6th, 2021Guia do Consumidor
Em quanto tempo o sistema solar retorna o investimento?

Tipicamente o tempo de retorno do investimento (payback) de um sistema fotovoltaico residencial no Brasil é em torno de quatro anos.

Isso significa que depois de quatro anos, com a economia de energia elétrica proporcionada pelo sistema solar, você recupera todo o valor investido.

Acompanhe na sequência do artigo infográficos, estudos de caso e exemplos de como funciona o ROI quando se trata de investimento em energia solar.

Retorno do investimento: estudos de caso

Lembre-se sempre: o que deve ser avaliado na aquisição do sistema fotovoltaico não é o valor total do investimento, mas o benefício que ele proporciona. 

O principal número a ser analisado é o tempo de retorno do investimento, que gira em torno de 4 a 5 anos, dependendo do local onde é instalado. 

Figura 1: Tempo de payback ou de retorno é o tempo que leva para o sistema fotovoltaico retornar o valor investido. Tipicamente é de quatro anos nas residências brasileiras

Depois do tempo de retorno do investimento, deve-se analisar o retorno do investimento propriamente dito. Ou seja, você deve avaliar quanto dinheiro você vai ganhar com o sistema fotovoltaico ao longo dos anos. 

Como todo investimento, o sistema de energia solar vai apresentar uma lucratividade ao longo da sua vida útil.  Essa análise de investimento pode ser realizada para você pela empresa contratada para o projeto e o fornecimento do sistema fotovoltaico.

Normalmente a análise de investimento é dispensada nos sistemas residenciais, uma vez que o baixo tempo de retorno e as vantagens dos sistemas fotovoltaicos já são bem conhecidas pelo mercado. 

Os sistemas fotovoltaicos residenciais atualmente são viáveis e lucrativos em qualquer parte do Brasil e são apontados pelos especialistas em finanças como um investimento com rentabilidade superior à de muitos produtos financeiros. 

Com a alta frequente das tarifas de eletricidade, tirar o dinheiro da poupança ou de outras aplicações e adquirir um sistema fotovoltaico é um negócio muito seguro e rentável.

Sistema de energia solar adquirido com capital próprio

A Figura 2 a seguir mostra o fluxo de caixa acumulado de um investimento em um sistema solar de 5 kW ao custo de R$ 25.000. O estudo foi feito para uma localidade onde o custo atual da energia elétrica é de R$ 0,80/kWh, considerando uma inflação de 5% ao ano. 

Na prática sabemos que a energia elétrica custa bem mais do que isso em muitos lugares do Brasil e a inflação da tarifa costuma estar acima de 5%, o que torna a aquisição do sistema fotovoltaico ainda mais rentável.  Neste caso estamos considerando que o comprador usou capital próprio para adquirir o sistema fotovoltaico. 

No gráfico abaixo, nos três primeiros anos o fluxo de caixa é negativo (barras vermelhas), indicando que o sistema está se pagando. A partir do quarto ano o lucro acumulado é positivo (barras verdes), o que significa que o sistema já se pagou – ou seja, o proprietário já recuperou todo o investimento realizado. 

Do quinto ano em diante as barras verdes vão aumentando, indicando um lucro de cerca de R$ 225 mil no 25º ano.  Colocando na ponta do lápis, o retorno do investimento no sistema fotovoltaico será de mais de 900% ao final dos 25 anos. Ter um sistema fotovoltaico é um excelente negócio.

Figura 2: Fluxo de caixa acumulado de um sistema fotovoltaico de 5 kW adquirido com CAPITAL PRÓPRIO e instalado em um local onde a energia elétrica custa R$ 0,80/kWh, considerando inflação anual de 5% da tarifa de energia. Resultado: payback em três anos e retorno de 900% sobre o investimento.

Sistema de energia solar adquirido com financiamento

Agora vamos analisar o que acontece se o mesmo sistema de energia solar fotovoltaica for adquirido através de um financiamento. Ou seja, em vez de usar capital próprio você financia integralmente a quantia de R$ 25 mil a uma taxa de 5% ao ano, com prazo de pagamento de 5 anos. O resultado é mostrado na Figura 2.

Na Figura 3 observamos que o fluxo de caixa é sempre positivo. Isso significa que não é necessário desembolsar qualquer quantia para a aquisição do sistema fotovoltaico. As parcelas do financiamento se pagam com a economia de energia elétrica.

Figura 3: Fluxo de caixa acumulado de um sistema fotovoltaico de 5 kW adquirido com FINANCIAMENTO, nas mesmas condições do caso anterior. Resultado: nenhum desembolso, financiamento quitado em 5 anos e retorno de 880% sobre o investimento.

 A vantagem em financiar um sistema fotovoltaico é que nenhum capital próprio precisa ser utilizado. Ou seja, você pode adquirir um sistema solar sem gastar nada, apenas pegando o dinheiro emprestado no banco. A desvantagem é a que a lucratividade é um pouco menor, já que você precisa pagar juros do financiamento durante os primeiros cinco anos. 

Mesmo financiado, o sistema fotovoltaico continua sendo um excelente negócio, já que o proprietário se vê livre da conta de luz e ainda alcança uma lucratividade de quase 880% nas condições usadas em nossa simulação. Além de economizar na conta de luz, o proprietário ainda ganha dinheiro sem empenhar capital próprio. 

Conclusão

Melhor investimento, impossível. Os sistemas fotovoltaicos retornam em pouco tempo o valor investido e ainda proporcionam lucro para o proprietário.

Os números mostrados nas Figuras 2 e 3 refletem as condições reais encontradas por qualquer pessoa que deseja hoje adquirir um sistema fotovoltaico no Brasil, seja com capital próprio ou financiado.

Não é por acaso que mais de 360 mil consumidores já instalaram sistemas fotovoltaicos no Brasil, espalhados em mais de 5,1 mil municípios de Norte a Sul, totalizando mais de 4,32 GW (bilhões de watts) de potência – dados de dezembro/2020 obtidos no site da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Canal Solar

Canal Solar

Equipe de Engenharia do Canal Solar

Um comentário

  • Sérgio A. Firmino disse:

    Gostei muito da matéria.
    Gostaria de receber mais informações detalhada pra que eu possa entender melhor e colocar nas minhas propostas as informações de investimentos para o cliente .

Comentar

Guia do Consumidor

Como vai ficar minha conta de luz com a energia solar?

Logo após a instalação do sistema fotovoltaico você vai começar a economizar energia elétrica e já vai sentir a diferença na próxima conta de luz. Você vai gerar a maior parte da sua necessidade de energia e vai usar menos energia da rede elétrica. Além da redução da conta de luz, você poderá encontrar créditos de energia na sua próxima fatura. A energia solar gerada que não  for consumida vai ser registrada por um medidor eletrônico bidirecional, gerando créditos de energia. Os créditos de energia vão aparecer na próxima conta de luz e serão abatidos do total que você deve…
14 de janeiro de 2021
Guia do Consumidor

Quanto custa ter energia solar?

Um sistema de energia solar fotovoltaica custa menos do que você imagina. Em alguns casos, pode não custar nada, pois a aquisição pode ser financiada e as parcelas do financiamento se pagam com a economia de energia. Vamos entender isso. Se você está pensando em adquirir um sistema fotovoltaico para gerar energia elétrica, continue lendo este artigo até o final e você vai se surpreender.  Investimento x despesa Você está pensando em adquirir um sistema de energia solar fotovoltaica, mas acha que o investimento será muito grande?  Uma palavra é muito importante na pergunta acima: investimento. A pessoa que adquire…
13 de janeiro de 2021
Guia do Consumidor

O que é geração distribuída de energia elétrica?

O que é geração distribuída de energia elétrica? A geração distribuída é uma modalidade de geração de energia elétrica caracterizada pela proximidade dos geradores com os consumidores.  A geração distribuída é uma estratégia de geração descentralizada, que emprega geradores de pequeno porte e se contrapõe ao modelo tradicional de geração centralizada. O modelo centralizado de geração corresponde ao uso de grandes usinas (como hidrelétricas e termelétricas) distantes dos centros de consumo, o que requer o transporte da energia por linhas de transmissão de longa distância. Por outro lado, na geração distribuída existem pequenos geradores instalados próximo aos centros de consumo…
13 de janeiro de 2021
Guia do Consumidor

Como ter energia solar na minha casa

Como ter energia solar na minha casa Produzindo sua própria energia elétrica com um sistema fotovoltaico Você sabia que toda residência brasileira pode gerar sua própria energia elétrica?  Isso tornou-se possível com a publicação da Resolução Normativa No. 482 da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) em 2012. A RN 482/2012 autorizou todos os cidadãos brasileiros a produzir sua própria eletricidade.  Empresas (pessoas jurídicas) também podem gerar sua própria energia. Para produzir sua própria energia você precisa ter na sua casa um sistema fotovoltaico conectado à rede elétrica, conhecido como sistema grid-tie ou on-grid.  O sistema solar fotovoltaico grid-tie opera…
13 de janeiro de 2021
Guia do Consumidor

Como contratar uma empresa de energia solar

Você já deve ter ouvido falar que ter energia solar em casa é um bom negócio. Não estamos falando dos tradicionais sistemas de aquecimento de água, mas dos sistemas fotovoltaicos -- que permitem produzir energia elétrica a partir da luz solar. Sistemas fotovoltaicos para a geração de eletricidade já são uma realidade no Brasil e proporcionam economia na conta de luz para milhares de consumidores residenciais, comerciais e rurais. A instalação de um sistema fotovoltaico no telhado da sua residência ou da sua empresa é um processo rápido e relativamente simples, mas deve ser realizado com alguns cuidados e por…
13 de janeiro de 2021