6 de julho de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 5.09GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 11,3W

Governo Federal publica decreto que regulamenta mercado de carbono

Documento traz a possibilidade do registro da pegada de carbono de processos e atividades

Autor: 18 de maio de 2022junho 2nd, 2022Política
Governo Federal publica decreto que regulamenta mercado de carbono

Anúncio foi feito durante a abertura do Congresso Mercado Global de Carbono – Descarbonização & Investimentos Verdes

O ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, anunciou nesta quarta-feira (18)  a publicação de um decreto que regulamenta o mercado regulado de carbono no Brasil. O documento tem como base a Política Nacional de Mudança do Clima.

O anúncio foi feito durante a abertura do Congresso Mercado Global de Carbono – Descarbonização & Investimentos Verdes, realizado no Rio de Janeiro (RJ). Na abertura do evento, Fausto Ribeiro, presidente do Banco do Brasil, anunciou que a instituição está lançando um fundo de investimento com aporte inicial de R$ 2 milhões destinado a financiar projetos de crédito de carbono.

O decreto traz o conceito de crédito de metano, a possibilidade do registro da pegada de carbono de processos e atividades, o carbono de vegetação nativa – que chega a 280 milhões de hectares em propriedades rurais, o carbono do solo – fixado durante o processo produtivo, e o carbono azul – presente nas áreas marinhas e fluviais. 

Revista Canal Solar

Mercado de Carbono: como funciona e qual a sua relação com a energia solar?

“Todas essas novidades representam um importante avanço na formação de instrumentos econômicos que possibilitem a monetização de ativos ambientais e a exportação de crédito de carbono para o mundo. Nasce hoje o mercado de carbono nacional, mas a sua maturidade virá com a aprovação do Projeto de Lei amplamente debatido pela sociedade no Congresso Nacional e com apoio do Governo Federal”, destacou o ministro Leite.

Ele ainda defendeu a participação do setor privado na transição para uma economia verde. “O Governo Federal é parceiro do setor privado. Ele trabalha para criar uma nova economia verde com soluções ambientais inovadoras”, ressaltou.

Sobre o congresso

O evento vai até sexta-feira (20), é realizado pelo Banco do Brasil e pela Petrobras e tem apoio institucional do Ministério do Meio Ambiente e do Banco Central do Brasil.

O primeiro debate contou com a participação do ministro Leite e do ministro da Economia, Paulo Guedes. “Nós somos a maior fronteira de investimento energético do mundo, temos a energia mais limpa do mundo, além de que vamos produzir a energia mais barata do mundo”, afirmou Guedes.

Ainda no debate, Guedes disse que o crédito de carbono vai ajudar a preservar as florestas brasileiras. “Uma árvore viva vale mais que uma árvore morta. Vamos cuidar e preservar o nosso meio ambiente”, ressaltou.

A digitalização dos serviços públicos foi apontada pelos dois ministros como uma forma de reduzir a emissão de carbono.

Programação

Durante três dias, mais de 100 especialistas, entre empreendedores e líderes de grandes corporações nacionais e internacionais, estarão juntos para debater e propor soluções inovadoras e de tecnologia para que o país se torne um exportador de energia verde para o mundo e caminhe para a neutralidade em emissões de gases de efeito estufa.

Serão 24 painéis apresentados em quatro salas temáticas, além de sessões plenárias no início de cada um dos dias, totalizando mais de 100 palestrantes. Também serão apresentados 120 cases de sucesso de empreendedores verdes em quatro mini auditórios.

Todas as palestras têm tradução simultânea. Mais informações podem ser obtidas no site do Congresso.

Ericka Araújo

Ericka Araújo

Desde 2020, acompanha o mercado fotovoltaico. Possui experiência em produção de podcast, programas de entrevistas e elaboração de matérias jornalísticas. Em 2019, recebeu o Prêmio Jornalista Tropical 2019 pela SBMT (Sociedade Brasileira de Medicina Tropical) e o Prêmio FEAC de Jornalismo. Já atuou como repórter e apresentadora da Rádio Brasil Campinas. Formada pela PUC Campinas.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.