STI Norland irá instalar rastreadores solares em usina no Brasil

Segundo a empresa, foram investidos cerca de R$ 22,8 milhões na construção da planta, que é capaz de gerar 11 mil MWh por ano

A fabricante espanhola de rastreadores e estruturas solares STI Norland anunciou que começou a trabalhar no projeto Marabá (PA), uma usina fotovoltaica de 6 MW de propriedade da Athon Energy.

Segundo a empresa, foram investidos cerca de R$ 22,8 milhões na construção da planta, que é capaz de gerar 11 mil MWh por ano. A usina irá evitar a emissão de mais de 825 toneladas de C02 por ano.

“Este é um dos grandes projetos em que a STI Norland Brasil está envolvida atualmente. Neste, estamos não somente fornecendo os trackers solares, mas também realizando a montagem dos equipamentos”, disse Javier Reclusa, CEO da STI Norland Brasil.

“Temos observado como a solar vem crescendo, significativamente, no Brasil e está se tornando protagonista das fontes de energia limpa, principalmente pelo seu ótimo custo-benefício. Estamos muito satisfeitos por fazer parte do fortalecimento desta fonte de energia no país”, destacou Reclusa.

De acordo com a fabricante, os produtos utilizados no projeto Marabá são do modelo STI-H250, que é o tracker bilinha, o primeiro deste tipo do mercado trazido pela STI Norland. Os trackers funcionarão com um conjunto self-power, ou seja, os equipamentos são autoalimentados por um único painel, responsável por carregar a bateria, capaz de movimentar 120 módulos.

A empresa ressaltou que o grande diferencial dos seus serviços é a tecnologia acoplada e planejada com a engenharia dos produtos. No STI-H250, a TCU, que é como o cérebro do tracker, armazena as configurações e realiza o gerenciamento das posições para o maior ganho de energia. Com um motor simples e robusto, acoplado a caixa redutora, a TCU faz essa comunicação, permitindo que o tracker mova facilmente o conjunto mecânico, onde os módulos são fixados.

Sobre a STI Norland

Em GD (geração distribuída), a STI Norland é uma das maiores fornecedoras de rastreadores solares, responsável por 90% do market share. Em projetos de GC (geração centralizada) responde por 39% do mercado.

Com mais de 100 projetos no Brasil, a fabricante já alcançou a marca de 2 GWp de energia vendida, em março de 2020, e vem aumentando consideravelmente seu volume de projetos.

Complexo solar Coremas contrata fornecedores

O complexo solar localizado em Coremas (PB), inaugurado no dia 17 de outubro, está dando continuidade às suas obras de ampliação e divulgando contratos de fornecimento para implantação de mais cinco usinas, todas elas contratadas no mercado livre.

Já foram divulgadas duas fornecedoras: a espanhola STI Norland e a chinesa Huawei. A primeira vai fornecer 2.460 trackers, modelo STI-H250, dual-row, para as usinas Coremas 4, 5, 6, 7 e 8.

Para as três primeiras usinas, instaladas em 2017, a STI já havia fornecido 947 trackers, sendo 254 do modelo multilinha H-1250 e o restante do mesmo STI-H250.

Imagem de Mateus Badra
Mateus Badra
Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal