Teto de churrascaria desaba: cuidados na hora de instalar painéis solares

Única maneira de trabalhar com segurança é contratando empresas qualificadas para realizar uma análise estrutural
3 minuto(s) de leitura
10-06-22-canal-solar-Teto de churrascaria desaba cuidados na hora de instalar painéis solares
Escombros de teto de churrascaria que desabou com painéis solares na Paraíba. Foto: Reprodução

No começo desta semana, o teto de uma churrascaria caiu e deixou, pelo menos, 20 clientes e funcionários feridos na cidade de Serra Branca (PB). A queda aconteceu durante o período da tarde de segunda-feira (6).

Em entrevista à imprensa, Mário Gomes, capitão do Corpo de Bombeiro do município, informou que a causa pode ter sido a falta de sustentação da estrutura. “Provavelmente, tenha sido a questão do peso porque a estrutura é de madeira e tem o peso do gesso, do telhado e das placas solares”, disse.

Porém, Gomes afirmou que a causa está sendo verificada pela prefeitura e que um laudo do motivo da queda deve ser emitido em breve por um engenheiro da Administração Municipal.

O bombeiro ainda comentou que as chuvas que caíram na região também podem ter contribuído com o acidente. O sistema fotovoltaico instalado no telhado da churrascaria possuía 22 painéis.

Em meio a este cenário, a dúvida que fica é: foi feita a análise estrutural do prédio e da cobertura antes da instalação da planta?

Raphael Vaz, engenheiro de produtos da 2P Acessórios, disse que existem inúmeros problemas que podem ser encontrados, mas a única maneira de trabalhar com segurança é contratando empresas qualificadas para realizar esta análise.

Leia mais

“A estrutura em madeira, por exemplo, pode sofrer degradação por fungos, o aço pode estar corroído e mal soldado, o concreto fraturado. É nosso dever expandir a energia solar no Brasil de forma segura e eficiente”, destacou.

Vaz ainda comentou que quase toda semana na 2P recebem a seguinte pergunta: a partir de quantos módulos é necessário realizar um laudo técnico do telhado? “A resposta é sempre a mesma, sempre”.

“A maioria dos telhados não foram projetados para resistir uma sobrecarga na cobertura, e módulos fotovoltaicos vêm ficando maiores e mais pesados com o passar dos anos. Há 5 anos trabalhávamos com painéis de 18 kg, e atualmente, mais potentes, placas que chegam a 38 kg”, relatou.

No Brasil, segundo ele, existem tetos muito distintos em design de estrutura e matéria-prima: “telhado coberto por telhas cerâmicas possui uma estrutura totalmente diferente de um com cobertura em fibrocimento, e ambos podem ser construídos com vigas em madeira, aço, ou até concreto”.

Portanto, na visão do engenheiro, não existe um padrão de design ou caso 100% seguro sem estudo de viabilidade técnica. É o que também pensa Marcelo Villalva, especialista em sistemas fotovoltaicos, que enfatizou que instalar painéis em telhados sem análise estrutural é um crime de responsabilidade.

Leia mais

“É recomendável que o engenheiro estrutural visite o espaço para fazer o levantamento das características da estrutura e do telhado. Em muitos casos, porém, devido à distância, a avaliação pode ser feita por outro profissional, por meio de croquis e fotos, como ocorre em alguns casos”, explicou.

Para Villalva, o vento e a chuva devem ser previstos nos projetos. “Não podemos simplesmente instalar sistemas sem qualquer preocupação com a segurança. O teto caiu após uma chuva com vendaval? Não podemos colocar a culpa nos mesmos”, concluiu.

Imagem de Mateus Badra
Mateus Badra
Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

5 respostas

  1. Há muita gente atuando na área de energia solar sem nenhuma capacitação. Vejo aí que muitas empresas apresentam orçamentos com preços baixos, utilizando materiais de qualidade inferior e com profissionais que são, na verdade, curiosos… não estão habilitados para executar as instalações. Deve haver uma fiscalização dessas empresas, verificando se há profissionais habilitados/capacitados e se estes realmente trabalham na empresa ou meramente assinam as ART. Há distribuidoras que querem até mesmo isentar o consumidor da apresentação da ART no projeto, o que é um erro absurdo. Há muitos engenheiros que assinam os projetos por qualquer dinheiro e sequer visitam as unidades consumidoras. Há muita incompetência, amadorismo e irresponsabilidade na área de energia solar. Nosso país está uma bagunça generalizada e não há qualquer fiscalização. Se permanecer assim, teremos essas situações se repetindo por todo o país. E olha que ainda temos muitas unidades consumidoras (a imensa maioria delas) que não tem um sistema de geração de energia solar instalado.

  2. Estamos no mercado desde 2015, eu acredito muito na energia solar fotovoltaica, porem com essa expansão exponencial que estamos verificando no mercado além de alertar os novos integradores e também os consumidores sobre as responsabilidades implícitas e e explicitas da execução de um sistema fotovoltaico. Faz-se urgente uma maior fiscalização dos conselhos de classe Confea/Crea e CFT/CRT com relação as empresas integradoras e executoras de instalações para verificar suas reais capacidades técnicas. Deixo aqui para refletirmos uma pergunta que um cliente nos fez quando lhe propusemos um sistema fotovoltaico: (vocês fazem instalação ou colocam painéis sobre telhados????) Cada um que responda por si a essa questão porem não é correto deixar essa conta para o consumidor ou a a sociedade pagar. Reflitamos a respeito.
    Abraços a todos.

  3. A telha colonial, usada na churrascaria conforme foto, é muito pesada e antiquada. Tipicamente, ela pesa 66kg por m2! Telha de fibrocimento pesa 3x menos, em torno de 15kg/m2.
    O painel solar acrescenta cerca de 20kg por m2. Cargas de vento, para inclinação desse tipo de telhado pode acrescentar até 45kgf/m2 de down-force (ventos de 120km/h ou 34m/s) , o que resulta ao todo em uns 120kgf por m2.
    Se fosse telha de fibra, seriam aprox. 70kgf/m2 nas mesmas condições.

  4. Justamente por essas e outras que nunca, jamais, se deve contratar qualquer empresa para realizar esse tipo de instalação.
    Sempre, sem exceção, o barato sai muito caro.
    Só empresas de engenharia estão aptas a realizar serviços de geração de energia solar fotovoltaica.
    Não se deve contratar “os pedrecistas” só por conta do preço.

  5. Isso provavelmente seja trabalho feito sem uma perícia técnica bem executado no local de instalação.
    Trabalho com construção civil a mais de 20 anos e já deixei de executar vários serviços por insistência do cliente em desrespeitar normas técnicas. Isso so contribui para dificultar ainda mais os nossos trabalhos com a instalação de energia solar infelizmente.

    Eu prezo pela segurança de todos em qualquer tipo de obra e principalmente na área elétrica seja corrente alternada ou continua. Se não estiver seguro não execute os serviços.
    Abraços a todos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal