25 de fevereiro de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,8GW

Unidades consumidoras no mercado livre de energia cresceram 23% em 12 meses

Dados da ABRACEEL se referem ao período de outubro de 2022 a outubro de 2023

Autor: 22 de janeiro de 2024Mercado Livre
2 minutos de leitura
Unidades consumidoras no mercado livre de energia cresceram 23% em 12 meses

Centro de armazenamento de produtos. Imagem: Pixabay

O Mercado Livre de Energia atingiu 37.377 unidades consumidoras no final de outubro de 2023, aumento de 23% nos últimos doze meses. Isso significa que 6.925 unidades migraram do Mercado Cativo no período. A informação consta no último boletim da ABRACEEL (Associação Brasileira de Comercializadores de Energia).

Atualmente, o Mercado Livre consome 26.177 MW médios, o que representa 37% do consumo nacional de energia do Brasil. Houve um aumento de 7% nos últimos doze meses encerrados em outubro.

O Mercado Livre é um ambiente de negócios onde consumidor e fornecedor negociam preços de energia livremente. Ele contrasta com o Mercado Cativo, onde os consumidores são atendidos, exclusivamente, pelas distribuidoras e são obrigados a pagar uma tarifa definida pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Desde 1ª de janeiro de 2024, todas as empresas conectadas em média e alta tensão (Grupo A) já podem optar pelo ambiente de contratação livre. Isso porque entrou em vigor as novas regras da Portaria º 50/22 do MME (Ministério de Minas e Energia). Antes disso, apenas grandes empresas e indústrias tinham essa opção. 

Pelos cálculos da ABRACEEL, cerca de 165 mil unidades consumidoras poderão migrar para o Mercado Livre a partir deste ano. 

Ministro critica abertura do Mercado Livre em Davos

Durante o Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, o ministro do MME (Ministério de Minas e Energia), Alexandre Silveira, disse em entrevista ao jornal Valor Econômico, na última quarta-feira (17), que a abertura do Mercado Livre ocorreu de forma precipitada nos governos anteriores, contribuindo para criar distorções entre o valor da energia paga pelos consumidores residências e as empresas.

Silveira, no entanto, disse que não pretende reverter o processo de abertura do Mercado Livre. A ideia é que no futuro os consumidores de baixa tensão (Grupo B) também possam negociar os preços da energia livremente, mas antes é preciso corrigir as distorções tarifárias para que o custo maior da energia não recaia sobre a população mais pobre. 


Todo o conteúdo do Canal Solar é resguardado pela lei de direitos autorais, e fica expressamente proibida a reprodução parcial ou total deste site em qualquer meio. Caso tenha interesse em colaborar ou reutilizar parte do nosso material, solicitamos que entre em contato através do e-mail: [email protected].

Wagner Freire

Wagner Freire

Wagner Freire é jornalista graduado pela FMU. Atuou como repórter no Jornal da Energia, Canal Energia e Agência Estado. Cobre o setor elétrico desde 2011. Possui experiência na cobertura de eventos, como leilões de energia, convenções, palestras, feiras, congressos e seminários.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.