18 de agosto de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 5,61GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 12,3W

Dez marcas detêm 82% da participação no mercado de inversores FV

Relatório da Wood Mackenzie aponta crescimento global das principais empresas apesar de desafios na cadeia de suprimentos 

Autor: 11 de julho de 2022agosto 18th, 2022Mercado
Dez marcas detêm 82% da participação no mercado de inversores FV

Aumento das marcas tem relação com o crescimento dos mercados europeus, indiano e de países da América Latina. Foto: Divulgação

Um levantamento realizado pela Wood Mackenzie, empresa de pesquisa e consultoria do setor de energias renováveis, apontou que os dez principais fornecedores globais de inversores fotovoltaicos tiveram 82% de participação no mercado mundial em 2021.

Trata-se de um aumento de dois pontos percentuais em relação a pesquisa de 2020, quando estas mesmas empresas registaram uma participação de 80%.

“Apesar do aumento dos preços das matérias-primas, dos desafios da cadeia de suprimentos e das construções atrasadas, os embarques globais de inversores FV continuam a subir e os principais fornecedores se tornarem maiores”, disse Annie Rabi Bernard, analista de pesquisa da Wood Mackenzie.

Segundo o estudo, o crescimento das marcas tem relação direta com o crescimento dos mercados europeus, indiano e de países da América Latina, onde houve apoio governamental significativo em prol das metas globais para descarbonização do planeta.

Em termos de alcance geográfico, a Ásia-Pacífico consumiu mais da metade dos embarques globais de inversores fotovoltaicos do ano passado (116.064 MWac).  Os embarques para a China, Índia e Austrália foram responsáveis pelo aumento da demanda, com a Huawei e a Sungrow mantendo seu domínio na região.

Na Europa, por sua vez, foram 23% de participação no mercado global no ano passado, com 50.770 remessas. O resultado aumentou a capacidade local de envio de inversores em mais de 17.000 MWac em 2021, um crescimento de 52% em relação ao ano anterior.

“Alemanha, Itália e Holanda, e a ambiciosa meta da Polônia de 7.300 MWac de energia solar fotovoltaica até 2030 contribuíram para o aumento significativo”, destaca a Wood Mackenzie.

Os EUA, no entanto, viram uma pequena redução de 360 MWac no embarque de inversores e representaram 14% da participação de mercado global. As restrições da cadeia de suprimentos, os custos de matéria-prima em nível recorde e os custos crescentes para os desenvolvedores contribuíram para a ligeira queda ano a ano.

Ranking das empresas

Pelo sétimo ano consecutivo, a Huawei e a Sungrow continuam sendo as empresas com maior atuação no mercado de inversores fotovoltaicos, segundo a Wood Mackenzie.  A participação da Huawei permaneceu estável em 23%, enquanto a Sungrow ficou em segundo lugar, com 21% de crescimento na comparação com 2020.

A terceira colocada Growatt representou 7% da participação de mercado, substituindo a SMA, que caiu para a sexta posição. Juntos, as três primeiras empresas (Huawei, Sungrow e Growatt) controlam metade do mercado mundial de inversores fotovoltaicos.

A GoodWe saltou quatro posições para ficar em quinto lugar em 2021 devido a grandes embarques para a região Ásia-Pacífico, particularmente China e Coreia do Sul. A empresa também obteve o maior crescimento nos embarques de quase cinco vezes entre os anos de 2019 e 2021.

Outro destaque do estudo foi a entrada, pela primeira vez, da SolarEgde na lista das dez maiores marcas do mercado global de inversores, em razão da penetração da empresa junto ao mercado europeu, sobretudo Israel. Confira mais detalhes abaixo.

Crescimento de embarques de inversores fotovoltaicos. Foto: Wood Mackenzie/Reprodução

Henrique Hein

Henrique Hein

Coordenador da Revista Canal Solar. Atuou no Correio Popular e na Rádio Trianon. Possui experiência em produção de podcast, programas de rádio, entrevistas e elaboração de reportagens. Acompanha o setor solar desde 2020.

Um comentário

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.