4 de março de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,9GW

Ecossistema de negócios e criação de oportunidades para integradores

Objetivo é trazer soluções para fortalecer o mercado e disponibilizar mais opções para os profissionais

Autor: 21 de setembro de 2022dezembro 5th, 2022Opinião
4 minutos de leitura

Em 2022, o crescimento do setor solar está acelerado, exatamente como imaginamos no início do ano. As condições mais favoráveis depois do período mais crítico da pandemia e a corrida para aproveitar os benefícios da regulamentação anterior têm feito o setor registrar novas marcas na capacidade instalada mês a mês.

Recentemente, superamos os 19 GW. Desses, cerca de 70% são em geração distribuída, de acordo com dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Ter uma pequena usina solar no telhado se tornou um desejo de muitos brasileiros. Para isso, precisamos facilitar o acesso a financiamentos dessas usinas, aumentar a qualificação de profissionais que atuam no setor e aprimorar modelos de negócios, entre outros fatores.

Na Ecori Energia Solar, estamos desenvolvendo um ecossistema de inovação e soluções com o objetivo de fortalecer o mercado e disponibilizar mais opções para os integradores.

O ecossistema Ecori está no início, mas a ideia é que cresça com o passar do tempo para gerar ainda mais oportunidades para os clientes da Ecori e, consequentemente, para os consumidores finais.

O ecossistema Ecori atuará em quatro áreas – e nosso olhar está voltando para soluções que se complementam. Nosso objetivo principal é fazer o mercado crescer junto conosco, ter as pessoas cada vez mais próximas para que também tenham um senso de pertencimento à Ecori.

A Comparta é uma das quatro empresas e atua na geração remota com foco em consumidores do Grupo B, sem telhado, que não conseguem gerar a energia em casa, seja por morarem em apartamentos ou casas de aluguel.

A Comparta atua gerindo a energia de usinas remotas, que permitem a transferência dos créditos gerados – não vamos atuar com consumidores que têm telhado e com isso podem adquirir usinas próprias com nossos parceiros integradores.

A segunda área de negócio conectada com a Comparta é a construção de usinas próprias, em que também haverá a possibilidade de parceria com nossos parceiros integradores. Vamos construir usinas remotas que poderão ser compartilhadas dentro da Comparta, que administrará a venda da energia.

Pensando nas linhas de financiamento para o ecossistema Ecori, trouxemos a Sunnier, uma fintech especializada no financiamento de usinas fotovoltaicas. A empresa só financiará instalações de integradores que tiverem a Certificação Profissional Ecori. É um produto super tecnológico, com aprovação por WhatsApp.

E escolhemos as empresas certificadas porque elas entregam produtos de qualidade, reduzindo automaticamente a inadimplência e diminuindo eventuais problemas jurídicos – o que beneficia o ecossistema e o setor fotovoltaico como um todo.

Fazendo a ponte entre clientes, empresas de energia solar e distribuidores em todo o Brasil está a Market Solar. A empresa entende as necessidades do consumidor final e apresenta propostas de várias empresas revendedoras, realizando uma venda consultiva que ajuda o consumidor a escolher o sistema mais adequado às suas necessidades.

A Izi, fabricante de estruturas com sede em São José do Rio Preto, se junta ao ecossistema Ecori para contribuir no controle da cadeia e na qualidade dos suprimentos, já que a cada ano a demanda aumenta mais que a produção. Não adianta termos os módulos, os inversores e não termos mais controle dos suprimentos, de onde colocamos tudo, os acessórios, a estrutura.

Estou muito feliz com esse passo importante que demos ao criar o ecossistema Ecori e com a certeza de que a melhor forma de crescer é criando oportunidades para que nossos parceiros também cresçam e assim possamos desenvolver mais negócios juntos.

Leandro Martins

Leandro Martins

Presidente da Ecori Energia Solar, com larga experiência, referência em energia solar fotovoltaica. Responsável pela popularização da tecnologia MLPE no Brasil, trazendo inicialmente a marca APsystems, e mais tarde, a SolarEdge para o país. Atua no mercado internacional desde 1996 em diversos segmentos e é formado em Comércio Exterior pela UNIBERO-SP.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.