24 de outubro de 2021

Volkswagen começa produzir caminhão 100% elétrico no Brasil

O modelo (4×2), de 11 toneladas, foi produzido na fábrica da montadora em Resende, no Rio de Janeiro

Autor: 22 de junho de 2021Mobilidade urbana
Volkswagen começa produzir caminhão 100% elétrico no Brasil

A Volkswagen anunciou neste mês que iniciou a produção em série do caminhão elétrico e-Delivery. Com isso, a fábrica em Resende (RJ) se torna a primeira do Brasil com montagem em larga escala de veículos com tecnologia zero emissões, segundo a empresa. 

O modelo (4×2), de 11 toneladas, vai compor a frota da própria montadora, que investiu cerca de R$ 150 milhões no desenvolvimento e complexo produtivo do automóvel.

“Criamos um processo sob medida para assegurar uma grande estrutura elétrica de forma eficiente. Vamos produzir os veículos aproveitando ao máximo os recursos já existentes, com um alto nível de sinergia, ao mesmo tempo que garantimos a inovação que o cliente espera e que o produto exige”, disse Roberto Cortes, presidente e CEO da VW Caminhões e Ônibus.

“Todo esse avanço é acompanhado por um amplo trabalho de preparação da cadeia com os envolvidos para viabilizar a mobilidade elétrica no país”, ressaltou o executivo.

Saiba mais: BYD bate a marca de 1 milhão de veículos elétricos produzidos

Ademais, a companhia destacou que construiu uma nova área dedicada exclusivamente à eletrificação: o e-Shop. O centro mundial de pesquisa e desenvolvimento da marca também passa a abrigar a maior infraestrutura de carregadores de alta potência do Brasil, com diferentes modelos, afirmou a Volkswagen.

O modelo (4×2) foi produzido na fábrica da montadora em Resende (RJ)

Sobre o e-Delivery

De acordo com a empresa, a fabricação do e-Delivery se beneficia de todos os ganhos da indústria 4.0 agregados pela VW Caminhões e Ônibus em seu processo desde o lançamento da nova linha Delivery, que conta com um nível de automação de 60% na armação da cabine. 

Além disso, enfatizou que no automóvel também predomina a tecnologia de reconhecimento automático, com um chip embutido para programação dos robôs. 

Com relação às baterias, as mesmas são de íons de lítio níquel-manganês-cobalto e têm capacidade de 240 kWh, o que garante uma autonomia estimada de 200 km.

Mateus Badra

Mateus Badra

Atuou como produtor, repórter e apresentador na Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro há mais de um ano, atuando nas editorias de Mercado e Tendências, Mobilidade Urbana, P&D e Equipamentos. Jornalista graduado pela PUC-Campinas.

Comentar