20 de setembro de 2021
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 3,83GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 6,90GW

Carrinho

Carports em alta no mercado brasileiro de energia solar

Conheça a aplicação que dá oportunidade para empresários gerarem valor aos seus clientes e reduzirem seus custos com energia

Autor: 23 de julho de 2021julho 26th, 2021Brasil
Carports em alta no mercado brasileiro de energia solar

Os carports – abrigos para veículos cobertos por painéis solares – estão cada vez mais em alta em diversos segmentos do mercado de energia solar, como hipermercados, shoppings, centros comerciais, faculdades e condomínios residenciais.

A aplicação vem ganhando espaço no setor solar, não só por gerar energia limpa e sustentável, mas também por oferecer um sistema de estacionamento mais seguro, confortável e protegido do sol, gerando economia na conta de luz. 

Além disso, com a forte tendência de introdução dos veículos elétricos, os carports ainda oferecem aos clientes dos empreendimentos a oportunidade de utilizarem a energia para abastecer seus carros, ou motos, enquanto fazem suas compras. Podendo ser, inclusive, um diferencial ou critério de seleção dos consumidores ao escolherem um local para fazer suas compras. 

Vitor Tavernari, CEO da Politec, uma das empresas brasileiras que trabalha com a fabricação da solução, explica que as vendas de carports no Brasil vem aumentando consideravelmente e que, os pedidos dessa solução tem aumentado significativamente. “Só no primeiro semestre de 2021 temos em torno de 10 MWp em estruturas de carport vendidas. Em todo 2019, este número era de 5 MWp”, disse ele.

Origem do carport

A expressão “carport” vem do termo francês “porte-cochère”, referindo-se a um portal coberto e passou a ser utilizado a partir dos anos de 1930 como referência aos estacionamentos cobertos, mas sem paredes.

Nos dias atuais, o conceito ficou mundialmente conhecido no campo da energia solar, com a substituição de coberturas convencionais por painéis fotovoltaicos. A ideia é garantir a proteção aos veículos estacionados e, ao mesmo tempo, a captação da luz do Sol pelas placas, transformando-a em energia elétrica.

Particularidades 

Apesar de haver semelhanças com os sistemas fotovoltaicos tradicionais, instalados em telhados, os carports possuem algumas diferenças. A primeira delas é o fato de que os projetos precisam ser customizados, pois as larguras das vagas variam de local para local, além de que a posição do pilar é crítica para abertura das portas e para facilitar a baliza. 

A altura do sistema também varia de acordo com o tipo de veículo: para automotores menores, como carros e motos, deve ser de 2,3 metros, enquanto que para os de maior porte, como vans, deve ser superior a  2,7 metros. A depender do cliente, também pode ser solicitado a vedação entre os painéis contra chuvas. 

De acordo com João Nunes, presidente da empresa WNunes, as instalações em telhados são mais baratas, pois necessitam somente da estrutura para a fixação das placas. Por sua vez, os sistemas de solo acabam sendo utilizados em grandes usinas e também em locais onde o telhado não é suficiente para a quantidade de placas do sistema ou não resistiria à carga gerada pelas placas.

Já as estruturas em carports são mais caras que as outras duas soluções, mas promovem um conjunto de benefícios para o empreendimento. “O carport cobre áreas de estacionamento gerando sombra para os veículos, protegendo-os do sol e chuva, criando bem-estar às pessoas que ali circulam, agregando também ao marketing ecológico no empreendimento”, afirmou Nunes. 

Gustavo Lopes, engenheiro do Grupo SSM, comentou também que os projetos de engenharia e montagem dos carports apresentam algumas diferenças quando comparados ao de uma instalação convencional de solo, como a fixação dos postes, a passagem de cabos e o local do inversor. “Recomendados para a fixação de pilares que seja traçado uma linha reta para o perfeito alinhamento. Para passagem de cabos, podemos utilizar a parte de dentro do perfil U por meio da fita de fixação”, comentou. 

Tipos de Carport Solar

Atualmente, existem dois tipos de carports, os quais se diferenciam entre eles de acordo com a estrutura utilizada. O primeiro é o sistema com pórtico balanço simples, que oferece cobertura em apenas um sentido, para vagas situadas em frente a paredes ou entradas.

O segundo é o carport com pórtico balanço duplo, o qual oferece cobertura em ambas as direções. O maior tamanho desta estrutura em relação a outra ainda permite a fixação de mais placas e, consequentemente, mais geração de energia elétrica.

Atratividade em estabelecimentos comerciais

De acordo com Francisco Vendramel, gerente de engenharia da L8 Energy, a instalação de carports solares no país se tornará algo natural com o passar dos anos. “Hoje, um empreendimento que visa a satisfação dos seus clientes investe na instalação de um estacionamento, porque uma parcela enorme da população usa carro e precisa de um lugar para estacionar”, disse.

O engenheiro ressalta, no entanto, que não basta apenas disponibilizar um estacionamento, já que os clientes dão preferência por espaços cobertos. É nesse sentido que entra a figura do carport, que, além de proteger os veículos, ainda gera economia na conta de luz aos empresários.

Vendramel explica que o carport tem os mesmos benefícios e a mesma durabilidade de um sistema fotovoltaico tradicional, que é de  25 a 30 anos,  e que apenas algumas características mudam em relação aos módulos. O gerente de engenharia da L8 Energy ainda reforça a necessidade das pessoas pesquisarem as empresas antes de saírem instalando a tecnologia.

Segundo ele, mais do que analisar o preço, é preciso verificar a credibilidade e a qualidade do serviço e dos produtos oferecidos a fim de evitar a famosa dor de cabeça. 

Instalação dos carports

Como toda estrutura que está sujeita à ação do clima e tempo, é necessário observar a localização da obra, os tipos de edificações da redondeza e os tipos do solo para a fundação, geografia do terreno e o espaço disponível.

Segundo João Nunes, em projetos que o estacionamento já está definido, além dos pontos já observados, é necessário “definir um modelo compatível com o projeto, medir o tamanho das vagas a fim de evitar que os pilares da estrutura fiquem no meio de uma vaga ou prejudicando a abertura de porta do veículo”, explicou. 

Rafael Avila, gerente de contas do segmento de Energia da ARaymond Brasil, frisa que para a fixação dos módulos em um sistema de carport pode-se utilizar tanto uma solução para estruturas fixadas por baixo como uma para telhado convencional.

Nunes ainda chama a atenção para a importância de uma boa pregação das estacas junto ao sistema e para a passagem adequada dos cabos. “O nosso carport, por exemplo, vem com um guia de cabos. Em cada terça que segura a placa é possível alojar o cabo para que ele fique escondido e seja encaminhado”, explica. 

“Em carports que não tem essa solução, o correto seria fazer esse encaminhamento dos cabos instalando um eletroduto ou uma eletrocalha para que esses cabos cheguem nos pontos de tubulação dos inversores”, ressalta ele. 

Nunes também chama atenção para a instalação das estacas em solos adequados. “Muitas pessoas acabam achando que a estrutura pode ser simplesmente fixada como numa laje ou num piso, quando na verdade não é bem assim. Existem forças que precisam ser consideradas  e para isso é necessário haver uma fundação adequada para receber isso”, destaca ele.

Payback e outras diferenças 

O preço de um sistema de carport completo varia muito dependendo do tamanho do projeto, dos inversores e das placas solares que forem utilizadas. No entanto, de acordo com João Nunes, é certo que o tempo de payback, ou seja, de retorno do investimento, é maior em um sistema de carport do que em relação a um sistema convencional. 

“Para que as pessoas tenham mais ou menos uma ideia, o nosso preço de uma estrutura de solo está na faixa de R$ 200,00 por placa. Já o de carport, vai para a faixa R$ 500,00 por placa. Então, são duas vezes e meia a mais em termos de estrutura. Ou seja, com certeza esse retorno vai ser um pouquinho a mais”, destaca ele.  

Nunes pontua ainda que o preço elevado do carport em relação aos sistemas convencionais de solo e de telhados tem justificativa. “Quando você coloca placas solares em um telhado, tecnicamente a estrutura já está pronta. Você só coloca os perfis, com uma ancoragem para poder instalar as placas”, deu início a explanação. 

“Numa usina de solo, você tem que criar uma fixação para elevar a placa e ela não ficar muito próxima do chão, o que acarreta em um custo maior (em relação ao sistema de telhado)”, prosseguiu.

“Já o carport é uma cobertura, ou seja, uma edificação, e precisa de uma sustentação mais alta e com uma exposição maior com relação aos ventos. Para isso, precisa ser mais robusta, o que implica no uso de mais aço ou alumínio, e numa elevação do preço final”, finalizou. 

Importância de uma boa vedação 

O sistema carport apesar de atrativo, assim como qualquer outro equipamento tecnológico precisa de alguns cuidados simples, mas que não podem passar despercebidos. Em alguns casos, o cliente exige a realização de uma boa vedação, a fim de fornecer abrigo quando chove. 

Segundo Vitor Tavernari, o sistema de vedação pode ser feito com uma espuma ou borrachas especiais, que oferecem proteção UV e que impedem a infiltração de água vinda das chuvas.

Uma das empresas que oferecem soluções para o sistema é a PHB. “O nosso diferencial são os perfis-calhas, onde as borrachas trabalham verticalmente na lateral do módulo. Basicamente, a água que escoa entre o módulo e o perfil é captada pela calha inferior e escorre lateralmente, o que garante uma vedação completa do sistema”, explica Jânio Taveira, especialista da empresa no segmento de estruturas. 

Carports solares e a mobilidade elétrica

No setor de veículos elétricos, projeções recentes apontam que a frota de carros movidos a eletricidade vem ganhando espaço no mercado internacional. Um estudo da BNEF (Bloomberg New Energy Finance), por exemplo, estima que mais da metade dos veículos no mundo serão elétricos até 2040.

Leia também: Veículos elétricos representarão mercado de US$ 46 trilhões até 2050

No Brasil, já existem carports instalados com carregador de carro elétrico. Um exemplo é o sistema instalado na Ribeiro Solar, uma parceira da Solar Edge. O projeto está localizado na sede da empresa, contando com um inversor fotovoltaico de 9,2 kW de potência que já contempla um carregador veicular incorporado ao equipamento. 

Ao mesmo tempo que abastece o veículo elétrico da empresa, o sistema completo é capaz de fornecer energia para o prédio da sede da Ribeiro Solar, que fica em Curitiba (PR). 

Outro projeto pioneiro no país foi o da BYD, que entregou o primeiro ônibus elétrico abastecido por energia solar no Estado do Ceará, em novembro do ano passado. Isso só foi possível graças à instalação de um carport montado com 183 placas solares, que carregam as baterias nos intervalos entre as viagens.

Exemplos de carports instalados no Brasil

No setor comercial,  o uso de carports também já é uma realidade em empreendimentos como supermercados e shoppings centers. Neste ano, a empresa Tekno Solaris implementou o sistema numa mercearia de produtos importados, em São Carlos (SP).

“O proprietário tem uma área relativamente grande de estacionamento, mas praticamente não tinha telhado. O que a gente fez foi cobrir essa área e fazer com que o sistema atingisse a autonomia energética que o nosso cliente precisava”, explicou Alexandre Serpentino, sócio-diretor da empresa.

De acordo com ele, apesar do pouco tempo de uso, o resultado tem sido satisfatório. “O cliente está contente porque conseguiu cobrir a demanda energética dele e usar isso como uma ferramenta de marketing, trazendo mais conforto para os clientes dele e mostrando preocupação com o meio ambiente”, destacou.

Quem também passou a trabalhar com o sistema de carport em suas atividades foram grandes companhias brasileiras, com a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), que vem aproveitando áreas operacionais disponíveis para instalar usinas fotovoltaicas e gerar energia para o tratamento de esgoto doméstico.

A primeira usina foi instalada há dois anos em Mogi Mirim (SP) e o sistema usa a radiação direta do sol para gerar eletricidade na infraestrutura de tratamento de esgoto da SESAMM (Serviços de Saneamento de Mogi Mirim), concessionária responsável pelo saneamento da cidade. Ao todo, a tecnologia tem gerado uma economia de mais de R$ 20 mil por mês. 

Em Campinas (SP), o condomínio Alphaville Dom Pedro 3 foi o primeiro a adotar o sistema de carport na cidade. A tecnologia foi instalada pouco antes da pandemia, em dezembro de 2019, no estacionamento próximo das áreas de lazer. 

A estrutura, com 230 painéis solares e quatro inversores de 15 kW, substitui o telhado convencional e, enquanto abriga os carros, produz energia. O retorno completo do investimento está previsto para acontecer no primeiro semestre de 2023. 

Claudinei Aranha, gerente comercial do condomínio, explica que a tecnologia foi implementada para atender a demanda de energia das áreas coletivas do residencial, como o clube social e os sistemas de segurança eletrônica e de portaria. 

“Com essa instalação, passamos a economizar cerca de R$ 8 mil por mês, o que nos deu a oportunidade de investir recursos em  manutenção e contratação de mão de obra. Tem sido só alegria”, comentou. 

Aplicações internacionais

O crescimento na aplicação de carports não é uma exclusividade do Brasil, pois em outros países o mesmo acontece. A Disneyland Paris, um resort de entretenimento em Marne-la-Vallée, localizado a cerca de 30 km da capital francesa, hospedará um novo projeto de garagem solar de 17 MW e que será construído em etapas até 2023.

Outro exemplo de aplicação internacional da tecnologia envolveu a IKEA, uma empresa especializada na venda de móveis domésticos de baixo custo. O empreendimento concluiu, em fevereiro deste ano, uma garagem solar de 1,35 MW em uma de suas unidades na cidade de Baltimore, nos Estados Unidos. 

Por causa dos bons resultados obtidos, a empresa informou que planeja construir mais sete projetos semelhantes em outras lojas, em parceria com o DSD (Desenvolvimento Solar Distribuído) de Nova York. As outras matrizes estão a caminho para serem concluídas ainda este ano.

Em janeiro, o DSD fechou uma linha de crédito de US$ 300 milhões, dando a entender que seguirá anunciando novos projetos em um futuro próximo. No geral, as garagens solares ajudarão a IKEA a alcançar seu objetivo de ser 100% renovável e os resultados iniciais indicam que o estabelecimento teve uma redução de 84% em sua demanda de energia comprada entre setembro e dezembro de 2020, o que equivale a uma economia de 57%. 

Henrique Hein

Henrique Hein

Atuou como repórter no jornal Correio Popular e na Rádio Trianon. Possui experiência em produção de podcast, programas de rádio, entrevistas e elaboração de matérias jornalísticas. Acompanha o setor de energia solar fotovoltaica, cobrindo as editorias de Mercado e Tendências; Negócios e Empresas; Cases e Bastidores da Política. Graduado pela PUC-Campinas

Um comentário

Comentar