Carro movido a energia solar tem autonomia de 625 km

Segundo montadora holandesa, a cada hora exposta ao sol equivale a 10 km extra de autonomia

O uso da energia fotovoltaica em dispositivos do cotidiano está cada vez mais ganhando força no mercado, como em carregadores portáteis, mochilas e até mesmo elevadores. 

Os aparelhos adquirem independência se alimentando da irradiação solar, convertida em energia por meio das placas fotovoltaicas. O uso pode ser instantâneo ou armazenado em baterias. 

Adoção de tecnologias sustentáveis já é uma realidade. Inclusive, vem ganhando ainda mais espaço na mobilidade urbana com os VEs (veículos elétricos) e também com os carros eletrificados movidos a energia solar, como o Lightyear 0.

Avaliado em R$1,3 milhão, o automóvel tem autonomia de sete meses e começará a ser fabricado ainda neste ano pela montadora holandesa. O reaproveitamento da luz do sol ocorre por meio dos painéis, que estão implementados na sua superfície.

Segundo a fabricante, o mesmo alcançará uma rodagem de 625 km sem precisar de carregamento, e o destaque está nos 70 km adicionais diariamente com o uso dos módulos fotovoltaicos. Cada hora exposta ao sol equivale a 10 km extra de autonomia. 

O Lightyear 0 teve sua pré-venda de 946 unidades esgotada. Com o dinheiro obtido com a comercialização, a startup prevê novos investimentos para no futuro poder lançar um modelo mais acessível, na casa dos R$ 160 mil.  

Como funciona um carro movido a solar?

O painel fotovoltaico instalado no veículo possibilita a conversão de raios solares em energia elétrica e, respectivamente, alimenta o motor. A longo prazo, os carros garantem autonomia devido a esta tecnologia, e nos dias nublados ou durante a noite um sistema de bateria permite o carregamento.

Imagem de Redação do Canal Solar
Redação do Canal Solar
Texto produzido pelos jornalistas do Canal Solar.

Uma resposta

  1. Gostaria de ter um carro destes, pena que ainda é uma realidade inalcançável para a maioria de brasileiros, por mais consciência ambiental que possa haver

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal