2 de dezembro de 2023
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 11,1GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 24,7GW

Ceará institui programa social para gerar renda por meio da energia solar

Programa visa melhorar a qualidade de vida do produtor rural; projeto piloto deve custar R$ 38,5 milhões

Autor: 11 de setembro de 2023Política
3 minutos de leitura
Ceará institui programa social para gerar renda por meio da energia solar

Governador do Ceará, Elmano de Freitas. Foto: Divulgação

O governador Elmano de Freitas, converteu em lei o PLC 18/23 (enviado por ele próprio) que institui o programa social Renda do Sol, uma política pública que visa reduzir a pobreza entre as famílias mais vulneráveis que moram na zona rural cearense, por meio da energia solar.

A ideia é aproveitar o grande potencial de geração de energia renovável do Ceará, em especial a solar fotovoltaica, e utilizá-la como vetor para trazer desenvolvimento econômico, qualidade de vida e competitividade para o produtor rural do Estado.

Os primeiros projetos pilotos serão implantados nos municípios de Jaguaribana e Tamboril, regiões que ficam a mais de 250 km de distância da capital Fortaleza.

Cerca de 160 famílias ligadas às atividades de produção de frutas, verduras e laticínios serão beneficiadas nesta primeira fase. Os moradores pleiteiam um apoio para reduzir os custos de manutenção da produção e especialmente da energia elétrica.

Inicialmente, o Renda do Sol visa implantar sistemas de geração distribuída nas associações e cooperativas atendidas pelo Projeto São José, beneficiando 7.476 famílias; implantar 3 projetos pilotos de microgeração residencial em três adensamentos urbanos de 50 famílias, cada, como instrumento assistencialista de geração de renda; adequar a infraestrutura de cobertura e conexão da rede de eletricidade para a instalação dos sistemas de microgeração; e, por fim, realizar um estudo de replicação do modelo.

O programa atinge a vários objetivos do governo, como gerar qualidade de vida, desenvolver a agropecuária local e incentivar a produção de energia limpa e renovável.

O investimento estimado nessa fase piloto é de R$ 38,5 milhões, isso inclui os custos com a capacitação da população para a instalação e manutenção dos sistemas fotovoltaicos das famílias beneficiadas.

Segundo o governo, os recursos poderiam vir através da articulação de linhas de financiamento, por exemplo, oriundos de reservas de P&D de empresas do setor elétrico, encargos associados à tarifa de energia, editais de inovação e desenvolvimento social ou do Banco do Nordeste, entre outros.

O governo espera que o Programa Renda do Sol proporcione economia e renda para as famílias beneficiadas, aumente a oferta energética e a geração de emprego, e atraia investimentos baseados no desenvolvimento social e sustentável.

O cronograma prevê que o estudo para replicação do modelo deverá ser concluído em 2024.

Wagner Freire

Wagner Freire

Wagner Freire é jornalista graduado pela FMU. Atuou como repórter no Jornal da Energia, Canal Energia e Agência Estado. Cobre o setor elétrico desde 2011. Possui experiência na cobertura de eventos, como leilões de energia, convenções, palestras, feiras, congressos e seminários.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.