Jinko alcança 24,79% de eficiência em célula monocristalina do tipo N

Segundo a Jinko, foram aplicadas várias tecnologias para a fabricação, incluindo contatos passivadores
2 minuto(s) de leitura

O fabricante chinês Jinko alcançou uma eficiência de conversão de 24,79% para uma célula de silício monocristalino do tipo N. A empresa afirmou que o resultado, certificado pelo ISFH (Instituto Alemão de Pesquisa em Energia Solar em Hamelin), é um recorde mundial para uma célula de tamanho grande.

Segundo a Jinko, foram aplicadas várias tecnologias para a fabricação, incluindo contatos passivadores, um sistema avançado de difusão, passivação de superfície e uma técnica avançada de anti-reflexo. As atualizações de materiais também foram integradas ao processo da célula.

“A empresa alcançou um marco fundamental em P&D (Pesquisa e Desenvolvimento). Nosso compromisso com a inovação tecnológica em materiais de silício, fabricação de células e tecnologias de processamento de módulos levou a vários recordes mundiais em termos de eficiência de células e módulos solares”, disse o Dr. Jin Hao, diretor de tecnologia da Jinko.

De acordo com o fabricante, a célula solar foi produzida em um substrato CZ mono-Si de alta qualidade, com um tamanho prático de 267,72 cm².

Quebra de recorde

A Jinko quebrou seu próprio recorde anterior, registrado em janeiro de 2019, quando atingiu 24,2% de eficiência. Na época, a célula se baseava no seu design HOT e apresentava a tecnologia TOPCon.

Imagem de Mateus Badra
Mateus Badra
Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal