24 de outubro de 2021

Recuperação verde das cidades depende do estímulo do governo federal

BNEF aponta ser fundamental o investimento em soluções climáticas para criar economias fortes e postos de trabalho

Autor: 11 de outubro de 2021Mundo
Recuperação verde das cidades depende do estímulo do governo federal

As cidades do mundo estão posicionadas para liderar uma recuperação econômica sustentável frente a crise da Covid-19, mas somente se os governos federais gastarem os fundos de estímulo com sabedoria. 

Essa é a principal descoberta do relatório divulgado pela BNEF (BloombergNEF) e C40 Cities, que destaca as conquistas, ao nível de município na redução de emissões, que estão prontas para serem “copiadas e coladas” em centenas de outras jurisdições globalmente com o suporte adequado. 

Apenas entre os países do G7, o levantamento identificou US$ 267 bilhões em fundos de estímulo que poderiam ser usados ​​imediatamente para impulsionar uma recuperação verde, com destaque para a UE (União Europeia) – estabelecendo US$ 145 bilhões.

A pesquisa enfatiza os sucessos alcançados em oito caminhos principais para a descarbonização, incluindo transporte, edifícios e consumo de energia. Em cada um deles, as cidades estão fornecendo exemplos de como se recuperar da recessão e, em simultâneo, promover ações climáticas, criando empregos e melhorando a saúde pública. 

De acordo com a BNEF, as melhores práticas para municípios, com base nesses estudos de caso, incluem direcionar a criação de postos de trabalho para os principais setores verdes locais e conectar e alinhar incentivos ao nível nacional para descarbonizar.

“Os municípios têm uma oportunidade única de ajudar a liderar nossa recuperação econômica global, ao mesmo tempo que lutam contra outra crise que já está aqui: as mudanças climáticas”, disse Michael R. Bloomberg, fundador da Bloomberg LP e enviado especial da ONU para Ambições e Soluções Climáticas.

“Mas eles não podem fazer isso sozinhos. É fundamental que os governos nacionais trabalhem lado a lado para investir e implementar as soluções climáticas que ajudarão a construir economias fortes e criar bons empregos agora”, completou. 

Leia mais: Dois terços das empresas globais miram zerar emissões de carbono

Mais análises

A BloombergNEF ressaltou que, à medida que o estímulo nacional muda do apoio à liquidez para a indústria direcionada e as políticas de recuperação do mercado de trabalho, os governos devem apoiar as cidades diretamente. 

O relatório apontou ainda que os municípios podem alavancar fundos de forma rápida e eficaz para atingir as metas de clima, saúde e empregos, e estão bem posicionados para acessar fundos de incentivo de três maneiras principais: alocação direta aos orçamentos locais, aplicação destinada a certos projetos (por exemplo, melhorias no transporte público ou empregos treinamento) e encorajando os residentes e empresas locais a se candidatarem a subsídios diretos.

Os países europeus, por exemplo, já estão liderando o caminho na entrega de estímulos alinhados a uma recuperação verde e justa. Itália, França e Alemanha respondem por 54% dos estímulos do G7 alinhados aos caminhos da pesquisa para uma recuperação sustentável. 

“Os prefeitos do C40 têm estado à frente no fornecimento de liderança política baseada na ciência para enfrentar a crise climática e alcançar uma recuperação verde e justa da pandemia”, comentou Mark Watts, diretor-executivo do C40. 

“Este relatório demonstra que, se o financiamento de estímulo nacional for apoiado em todos os lugares, como a União Europeia está fazendo, a liderança de um município pioneiro poderia dar início a uma transformação global mais ampla”, pontuou.

Para Watts, ao investir e regulamentar para impulsionar o progresso no transporte público de baixo carbono, reformando edifícios, expandindo a eletricidade limpa e a infraestrutura de veículos com emissão zero, as cidades podem servir como caminhos-chave para sair da pandemia e da emergência climática.

“Os municípios podem servir como laboratórios de teste para novas iniciativas que tenham um impacto real”, ressaltou Emma Champion, associada da BloombergNEF e autora principal do estudo. “Os governos nacionais têm então o poder de ajudar a expandir essas ideias, especialmente se disponibilizarem os fundos necessários”, concluiu.

Mateus Badra

Mateus Badra

Atuou como produtor, repórter e apresentador na Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro há mais de um ano, atuando nas editorias de Mercado e Tendências, Mobilidade Urbana, P&D e Equipamentos. Jornalista graduado pela PUC-Campinas.

Comentar