Inversão de fluxo: 1,2 mil empresas fecharam as portas em MG

Dados fazem parte de um estudo realizado pela FMGD (Frente Mineira de Geração Distribuída)
4 minuto(s) de leitura
Inversão de fluxo: 1,2 mil empresas fecharam as portas em MG
Mais de 12 mil pessoas perderam seus empregos no Estado. Foto: Clarissa Barçante/ALMG/Divulgação

Cerca de 1,2 mil empresas do setor de energia solar fecharam as portas em Minas Gerais desde que a Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) começou a reprovar pedidos de conexão para projetos de micro e minigeração distribuída em sua área de concessão.

Os dados fazem parte de um estudo realizado pela FMGD (Frente Mineira de Geração Distribuída). Ao todo, mais de 12 mil pessoas perderam seus empregos no Estado. 

Em comunicado divulgado nas redes sociais, a entidade alega que a Cemig tem negado sistematicamente novas instalações fotovoltaicas nos telhados dos imóveis mineiros e impedido que os cidadãos aproveitem os benefícios da fonte renovável. 

“A energia solar representa uma oportunidade crucial para os mineiros reduzirem seus custos com energia elétrica. Com a economia gerada pela utilização de energia solar, as famílias poderiam direcionar recursos para áreas essenciais como saúde e educação”, destacou a FMGD. 

No entanto, segundo a entidade, a atuação da Cemig tem dificultado a realização dessas instalações. “É urgente que haja uma intervenção efetiva para reverter essa situação, garantindo que os mineiros possam usufruir dos benefícios da energia solar e, assim, melhorar sua qualidade de vida”. 

Inversão de fluxo 

Desde a regulamentação da Lei 14.300/2022, por meio da Resolução 1.059, a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) tem recebido uma série de questionamentos por parte de empresas e associações do setor de energia solar sobre a atuação das distribuidoras de energia elétrica, sendo a Cemig uma das principais delas.

Tudo isso ocorre porque a publicação do documento concedeu às concessionárias de energia elétrica a possibilidade de negar pedidos de conexão de sistemas fotovoltaicos sob a alegação de risco de sobrecarregamento da rede. 

Contudo, para poderem fazer isso, as distribuidoras são obrigadas a realizarem estudos e a enviarem justificativas técnicas para seus clientes, de modo a informar o porquê do pedido de conexão ter sido rejeitado e quais alterações devem ser feitas para adequar o projeto.

No entanto, segundo a FMGD, isso é algo que não vem ocorrendo na área de concessão da Cemig.

Em fevereiro deste ano, diretores da ANEEL disseram abertamente, em audiência pública, que as distribuidoras não só estão descumprindo o que prevê a regulamentação 1.059 e a Lei 14.300/2022, como também estão ignorando as determinações da própria ANEEL.

O que diz a Cemig?

Procurada pela reportagem, a Cemig afirmou que “cumpre integralmente a legislação vigente sobre o tema” e que as conexões de GD são “feitas seguindo a regulamentação da Aneel”.

A companhia destacou que “se constatada a inversão de fluxo, a Aneel determina a adoção de procedimentos específicos, em benefício de todos os consumidores de energia, o que é seguido pela Cemig”, pontuou em nota.

A distribuidora também frisou que Minas Gerais alcançou a marca de 8 GW de energia solar conectada, seja por geração centralizada ou distribuída e alegou que tais números mostram “o esforço da Cemig, que é a responsável por conectar toda essa energia ao sistema e a distribuir aos consumidores”.

Sobre a GD, a Cemig disse ainda que o setor recebeu uma série de incentivos ao longo dos últimos anos. “Desde 2018, a Cemig conectou mais de 270 mil unidades de GD, também recorde no país, e realizou investimentos para viabilizar estas conexões. A Cemig segue realizando os maiores investimentos de sua história, que colaboram para a conexão de novos empreendimentos de energia solar em Minas Gerais”, finalizou a companhia.

Todo o conteúdo do Canal Solar é resguardado pela lei de direitos autorais, e fica expressamente proibida a reprodução parcial ou total deste site em qualquer meio. Caso tenha interesse em colaborar ou reutilizar parte do nosso material, solicitamos que entre em contato através do e-mail: [email protected].

Imagem de Henrique Hein
Henrique Hein
Atuou no Correio Popular e na Rádio Trianon. Possui experiência em produção de podcast, programas de rádio, entrevistas e elaboração de reportagens. Acompanha o setor solar desde 2020.

33 respostas

  1. A injeção de energia na rede pode ser controlada por meio Inversores que fazem controle e podem zerar a injeção.
    A usina fica apenas para alto consumo, porem e necessário projetar a Usina apenas para esta demanda.
    O caminho e apresentar o Projeto e a documentação do Inversor que prove esta função.
    A Cemig tem sistema de medição que pode avaliar se o proposto esta sendo cumprido então não ha porque o projeto ser indeferido.

  2. Governador de Minas Gerais tem ações da CEMIG, digo, os cidadãos Mineiros tinham que pedir audiência com este Servidor. O Sistema em todo Brasil é perverso ou um Projeto dos PODERES estabelecidos.
    Desigualdade social é estruturada para eternidade. Já existem espoliações dos nossos minerais (AEPET Coluna) .
    Pontos chaves das Agências reguladoras e fora outras indicações políticas , são cabides ou são concursados!??

  3. Minha empresa até 10/07/2024 teve exatamente 71% de “reprovações” de projetos por inversão de Fluxo, apenas no ano de 2024.

    A CEMIG está conseguindo o que deseja, que é inviabilizar e quebrar as empresas de Energia Solar Fotovoltaica em Minas.

    Durante alguns anos, tivemos 18 colaboradores trabalhando conosco, hoje estamos apenas com 4(quatro) e não tem serviço durante todo o período para estes 4 que restaram.

    Minha empresa “ainda não fechou”, vamos continuar até o final de 2024, mas se a situação não melhorar, encerraremos uma atividade que temos MUITOS clientes, MUITOS contatos, MUITOS pedidos e fecharemos um negócio de “sucesso” que foi/é arrimo para muitas famílias, que levou sustentabilidade e economia financeira há centenas de pessoas.

    Temos um sentimento de “revolta” com a CEMIG e com os órgãos que estão “do lado”, apenas de grandes empresas, conectando usinas Gigantes e deixando as pequenas empresas, que não geral trabalham com usinas de até 75KW sem acesso a GD.

    GD em Minas, agonizando!

  4. A verdade é que não temos quem fiscalize a cemig!! Eles não dão nenhum estudo mostrando o horário e dia da inversão!! Apenas um gráfico ridículo e mentiroso!! Os um verdadeiro lobby.
    A cemig está construindo megas usinas dela para vender energia entre aspas mais baratas a pergunta é para as usinas dela não tem inversão?
    Tudo é conversa para boi dormir!! E o vagabundos de Brasília também não fazem nada!!

  5. Não podemos nos esquecer que o Zema pretende vender a Cemig, deixarão de ganhar muito na produção de energia e os futuros donos querem ganhar de ponta a ponta. #DireitaQuePrivatiza

  6. Quem não entende ou é leigo ou está enxergando só a sua lucratividade….O sistema está saturado, não é só injetar energia, existe proteções do sistema, inversão de fluxo de alimentação, etc,etc…..A única solução será o Off-Grid.

  7. Aqui em minha , Vermelho Novo a Cemig tá uma vergonha pik de luz quase todos os dias danificando eletrônico, motores. Vc vai reclamar na ouvidoria e não atende.

  8. E simples coloquem sistema com baterias e nem usa rede da Cemig nem taxa do sol .pode sair mais caro mais tira as correntes da Cemig .dos nossos pés .palhaçada isso cadê o governo de minas

  9. Mas é lógico que as concessionárias iriam reagir. A geração privada impacta diretamente no lucro da empresa, e eles não querem perder. Isso já deveria ser esperado pela aneel. O que me deixa preocupado é a inércia do governo que não faz nada e enquanto isso já tem data para a implantação da Bandeira amarela devido ao baixo nível dos reservatórios pela estiagem. Então, num momento em que a energia solar e eólica fariam uma grande diferença, entram as concessionárias impedindo novas instalações na contra mão da necessidade do País. A inércia do governo nesta área é criminosa. A começar pelo alto custo para o consumidor final, seja da energia eletrica, seja da energia solar pelo alto custo de equipamentos e instalação. PQ O GOVERNO NAO ADOTA O MEU SISTEMA SOLAR MINHA VIDA? PQ JA JA VAI SER PROBLEMA NACIONAL DEVIDO AS ALTAS CARGAS TRIBUTARIAS ALGUM PAGAR UMA CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL.

  10. Vejo este fato como uma faca de dois cumes, é claro é notório que as concessionárias iriam apelar usando brechas nas resoluções, haja visto o fato de cobrar taxa “pela utilização do sol”, produzindo a sua própria energia implantou-se que devemos pagar taxa mínima de consumo para a concessionária, óbvio senão para quem ela venderia?
    Agora a concessionária está oferencendo vender em sistema de cotas de usinas fotovoltaicas e dificultando a instalação nas residências para forçar comprar dela, retirando o que podemos dizer concorrência. Uma pena, é não termos liberdade de escolha quanto a escolher quem nos atenderá com o fornecimento de energia, pelo visto está será uma batalha de titãs e pelo visto se não tiver intervenção governamental “pouco provável”, tudo continuará com antes.

  11. O Brasil precisa ser denunciado em órgãos internacionais pois participa de acordos (desde a Eco 92) com esses países para redução da emissão de carbono e não os cumpre. O Brasil mente internacionalmente quando se diz um país verde que investe em tecnologia de energia limpa.

  12. Cemig é uma piada,incentiva a economizar energia, quando um pobre compra o sistema fotovoltaico ela negão a ligação, brincadeira né, quando tá perdendo dinheiro,deixa de ligar o sistema prós pobres,mas prós grandes empresários liga

  13. Passou da hora de resolver a situação e parar de proibir que setor trabalhe e o direito da pessoas gerar sua própria energia se proibido, pra mesma instalar sua próprias Usinas de investimento não existe inversão fluxo, estranho, então dois pesos e duas medidas palhaçada.

  14. Não consigo entender a atitude da CEMIG, se não tem como liberar novas ligações GD com alegação de sobrecarregando na rede, sendo assim não tem o por que de está aumentando o preço da energia e mudar a bandeira de Verde pra AMARELA, já que as redes estão com energia sobrando. Sou um pequeno produtor Rural que fiz investimentos em 28 placas que pra mim é um valor considerável e agora está sucatiando por não poder ligar, já está completando 7 meses, fiz o investimento pra poder aumentar minha produção e agora gastei sem poder e não tenho condições de aumentar produção.

  15. Sou de Araguari MG, meu projeto esta pronto pra ser ligado a quase 2 anos, gastei $500.000,00 na montagem de uma GD …ja paguei a primeira parcela de $153.000,00 que tinha um ano de carência e em mais seis meses vence a segunda parcela e até hoje a CEMIG não ligou e eu sigo pagando em média $30.000,00 mês de energia, vamos ver até aonde vai isso?!?!

    1. Rapaz! Coloca um gerador a gasolina pequeno só pra ativar os inversores e gera off-grid nos horários de insolação, com o disjuntor da Cemig desconectado.Pelo menos você economiza um pouco na conta de luz até a Cemig autorizar a conexão.

  16. Mudança de regras no meio do torneio nunca foi uma boa medida. A minha impressão sobre a CEMIG não é das melhores. Ela parece ser um mastrodonte caro e incompetente. Cada vez mais incompetente. Estou torcendo para a evolução das baterias pra me ver livre dela(da Cemig).

  17. Infelizmente a ceming está acabando com a nossas empresas de energia solar! Grande cachorrada da ceming, só em Minas está acontecendo isso. Essa ceming é uma merda de empresa.

    1. E simples coloquem sistema com baterias e nem usa rede da Cemig nem taxa do sol .pode sair mais caro mais tira as correntes da Cemig .dos nossos pés .palhaçada isso cadê o governo de minas

  18. Era muito bom pra ser verdade .a Cemig está comprando as fazendas foto voltaicas e logo logo oque era pra ser uma energia mais barata vai voltar as tarifas normais da Cemig a energia mais cara do Brasil.
    Brasil sendo Brasil

  19. Comprei 25 placas solares para ajudar na fábrica de macarrão da propriedade de meu filho,as a CEMIG não autoriza a regularização, o que devo fazer

  20. Sou consumidor em área Rural, tenho hábito de monitorar a tensão, de 2 anos pra cá, a tensão varia muito durante o dia, a noite depois das 24 a tensão fica normal, não sei se é o caso de muitos painéis na rede elétrica, a continuar assim prefiro montar um sistema off grid, segundo informações extras oficiais é conforme a Cemig alimenta o local, fornecer energia implica também em assumir responsabilidade para a distribuição de energia.

  21. O engraçado é que neste mês teremos bandeira amarelo. Mais engraçado ainda é que a Cemig tem deito usinas Solares. Mais engraçado ainda é que em 22 ou 21 “nós” pagamos em nossas contas 2 ou 3 navios geradores tercerizados para ficarem parados em Santos e o pior, sem gerar energia pois as chuvas retornaram e os níveis dos reservatorio voltaram ao normal. Já os navios tinham contrato, e mesmo.parados estavam sendo pagos.

  22. Pura covardia com os mineiros.

    A Cemig tem o Cemig SIM , que estão sendo montadas suas próprias usinas solar , ou seja ela quer vender energia solar , impedindo assim os mineiros de gerar sua própria energia , como ressaltou assim o autor que com essa economia os mineiros poderiam investir em educação saúde etc…mm

  23. Isso é uma vergonha para nosso país.
    País onde não se preocupa com fonte de energia renovável.
    A Cemig e uma vergonha para minas gerais.
    O pior que os governantes também não estão nem ai, não incentivam.

  24. O quadro de inversão de fluxo se repete a cada dia…sou integrador há mais de 6 anos e estou com 2 usinas montada residencial sem poder funcionar …pois a Cemig autorizou o funcionamento de uma das 17 as 5 da manhã e outra das 13 HS as 9 da manhã e não podendo também sábado e domingo …isso é um absurdo.

  25. Não é só a Cemig a cpfl também está dificultando as instalações solares alegando inversão de fluxo é um descaso com a população

  26. A negativa da conexão apenas por inversão de fluxo não é justificativa aderente para quem opera um sistema elétrico.
    Certamente deve-se adequá-lo para essa condição, mas desde que não haja sobrecarga em equipamentos, somente a variação de tensão causada pela conexão é um aspecto técnico relevante para uma recusa da conexão , mesmo assim, é possível que haja soluções para contornar esse problema, como por exemplo, a injeção de reativos pela geração.

  27. A cemig comprou usinas fotovoltaicas para producao de energia, sendo q este sentido
    É o problema q qualquer cliente não tem mais como aplivar a sua usina para sítio,comércio e demais locais
    Td porque eles agora produzem energia

  28. Li a reportagem, é como se você fosse ao médico com refluxo e ele te receitasse papinha e não se alimentar entre 18h e 05h da manhã ao invés e intervir definitivamente na causa do refluxo. As concessionárias precisam nolucionar o problema e não penalizararem os consumidores.
    Cadê o ministro das minas e Energia?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal